Equipe fechada

Lula anuncia mais 16 ministros; veja quem fará parte do governo

Compartilhe:
Foto: reprodução / Gabinete da Transição

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) anunciou, nesta quinta-feira (29), mais 16 ministros que vão compor a Esplanada dos Ministérios do seu terceiro mandato. Entre os nomes anunciados estão o de Marina Silva (Rede), que será a ministra da Meio Ambiente e Mudança Climática; de Simone Tebet (MDB), que ficará com Planejamento e Orçamento; e de Carlos Lupi, presidente do PDT, que vai ocupar o Ministério da Previdência.

A cerimônia de anúncio começou com 1h45 de atraso. “Depois de um trabalho intenso, depois de muita tensão, depois de muita conversa e muito ajuste, terminamos de montar primeiro escalão do governo”, afirmou Lula. As negociações para o fechamento da Esplanada ocorreram até minutos antes do anúncio oficial no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil).

A novidade do Governo Lula 3 é a criação do Ministério dos Povos Originários, que ficará a cargo de Sonia Guajajara. A nova ministra é do povo Guajajara/Tenetehara, habitantes da Terra Indígena Araribóia, no Maranhão.

Marina Silva voltará a comandar o Meio Ambiente após 14 anos. A ambientalista ocupou o ministério durante os dois governos do petista, entre 2003 e 2008. A ex-jogadora de vôlei Ana Moser ficará com o Ministério do Esporte. Simone Tebet (MDB) comandará a pasta de Planejamento e Orçamento por seu empenho no segundo turno da campanha eleitoral.

O gaúcho Paulo Pimenta (PT) será o responsável pela Secom (Secretaria de Comunicação Social). Havia expectativa de outro nome do Rio Grande do Sul no ministério, o do deputado estadual Edegar Pretto, na pasta de Desenvolvimento Agrário. O nome escolhido, no entanto, foi o de Paulo Teixeira (PT), de São Paulo.

O GSI (Gabinete de Segurança Institucional) será comandado pelo General Gonçalves Dias.

O MDB emplacou três nomes. Além de Tebet, a sigla alcançou a pasta de Cidades, com Jader Filho (MDB); e os Transportes, com Renan Filho (MDB). O PSD também terá três nomes no governo: Carlos Fávaro, na Agricultura; André de Paula na Pesca; e Alexandre Silveira, em Minas e Energia.

A pasta da Integração e Desenvolvimento Regional ficará com o governador do Amapá, Waldez Góes. Ele deve migrar do PDT para o União Brasil. Outras duas pastas ficam com nomes do partido. Comunicações, com Juscelino Filho; e o Ministério do Turismo, com a deputada eleita Daniela do Waguinho. Por falar em PDT, o Carlos Lupi será o ministro da Previdência.

Os anúncios mais comemorados foram os de Marina Silva e de Sonia Guajajara. No momento da foto oficial, Simone Tebet chamou Fernando Haddad para tirar uma foto com ela e o presidente eleito. O petista também anunciou que mulheres irão chefiar a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil.

Líderes na Câmara e no Senado

Lula também anunciou os nomes dos seus líderes no Legislativo. será o responsável pela representação na Câmara. Jacques Wagner representará o governo no Senado Federal. Randolfe Rodrigues fará a representação no Congresso Nacional.

Os outros ministros já anunciados

Secretaria das Relações Institucionais – Alexandre Padilha

Secretaria-Geral – Márcio Macêdo

Advocacia-Geral da União – Jorge Messias

Controladoria-Geral da União – Vinicius Carvalho

Ministério do Desenvolvimento Social, Assistência, Família e Combate à Fome – Wellington Dias

Ministério da Saúde – Nísia Trindade

Ministério da Educação – Camilo Santana

Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos – Esther Dweck

Ministério dos Portos e Aeroportos – Márcio França

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação – Luciana Santos

Ministério das Mulheres – Cida Gonçalves

Ministério da Cultura – Margareth Menezes

Ministério do Trabalho e Emprego – Luiz Marinho

Ministério da Igualdade Racial – Anielle Franco

Ministro dos Direitos Humanos – Silvio Almeida

Ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços – Geraldo Alckmin

Ministro da Fazenda – Fernando Haddad

Justiça e Segurança Pública – Flávio Dino

Ministro da Defesa – José Múcio Monteiro

Ministro das Relações Exteriores – Mauro Vieira


Compartilhe: