nevasca do século

Estados Unidos registram 60 mortes em onda de frio histórica

A maior parte das vítimas morreu por hipotermia ou por ataques cardíacos ao tentar retirar a neve acumulada em frente a residências e veículos

Compartilhe:

O número de mortos por conta da forte onda de frio e neve que atinge os Estados Unidos chegou a 64 nesta quarta-feira (28), informam as autoridades dos Estados Unidos. Chamada de “nevasca do século” no país, a área mais atingida continua sendo a da cidade de Buffalo, em Nova York, que, sozinha, tem 28 vítimas.

Há ainda mais de quatro mil residências sem energia elétrica – e, consequentemente, aquecimento – e os serviços de meteorologia locais apontam que devem cair ainda mais 20 centímetros de neve. Chicago e Nova York registraram seu maior frio para essa época do ano desde 1983 e 1906, respectivamente.

No entanto, há óbitos relacionados ao “ciclone bomba” em 12 estados: Colorado, Illinois, Kansas, Kentucky, Michigan, Missouri, Nebraska, Nova York, Ohio, Oklahoma, Tennessee e Wisconsin.

As autoridades seguem fazendo apelos para que as pessoas permaneçam em casa e só saiam em situações de emergência porque as ruas ainda têm muita neve – algumas passam de 1,2 metro de altura. Muitos carros, inclusive, continuam presos em vias públicas.

A maior parte das vítimas morreu por hipotermia ou por ataques cardíacos ao tentar retirar a neve acumulada em frente a residências e veículos, aponta a mídia norte-americana. A tempestade ártica provocou caos nos aeroportos dos EUA durante o fim de semana de Natal.

Outro efeito da forte onda de frio e neve foram os mais de 17 mil voos cancelados em todo o país. No entanto, as autoridades do Departamento de Transportes, do governo de Joe Biden, e uma comissão do Senado estão investigando grande parte desses problemas, já que a maioria das viagens canceladas eram da empresa Southwest.

Para Washington, a quantidade de passageiros que ficou em terra é “inaceitável”. Já os senadores afirmaram que os consumidores “precisam de uma forte proteção e também regras atualizadas para reembolso dos bilhetes”.


Compartilhe: