ESCORPIÕES

Agentes de Saúde de Porto Alegre capturam 23 escorpiões amarelos no Centro Histórico

Centro é a região com maior número de visualizações e capturas do animal em Porto Alegre

Compartilhe:

Uma ação da área da saúde de Porto Alegre resultou na captura de 23 escorpiões amarelos. A ação foi realizada nesta terça-feira (6), na região da Praça Dom Feliciano, no Centro Histórico.

Das 452 capturas do animal realizadas neste ano, 323 foram no Centro. Isso faz do bairro a região com maior número de visualizações e capturas em Porto Alegre.

Os trabalhos prosseguem. Nesta quarta (7) e na quinta-feira (8), agentes de combate a endemias participam, na sede da DVS (Diretoria de Vigilância em Saúde), de uma capacitação teórica e prática sobre captura do animal.

A formação é feita pela bióloga Fabiana Ninov. Ela é servidora aposentada da Secretaria Municipal de Saúde.

Sintomas e tratamento

Acidentes com escorpião amarelo são caracterizados por dor local, sudorese, vômitos e agitação. Nos casos moderados e graves, especialmente em crianças, a sintomatologia é mais severa. Ela pode incluir alterações cardíacas, tremores, entre outros.

Acidentes graves são tratados com soro específico em ambiente hospitalar. A referência em Porto Alegre é o HPS (Hospital de Pronto Socorro). A vítima deve ser levada para o HPS o mais rapidamente possível, especialmente se for uma criança ou pessoa idosa.

Cuidados

Para evitar a aproximação dos escorpiões, a recomendação é de que o arredor da moradia seja limpo, com grama aparada e e com eliminação de entulho ou lixo. Na residência, devem ser vedadas soleiras das portas com saquinhos de areia ou friso de borracha, e instalação de telas nas portas, janelas e nos ralos de banheiros e cozinha (ou ralo abre-fecha). O objetivo é evitar a entrada dos animais.

Toda visualização de escorpião amarelo deve ser comunicada à prefeitura. O serviço está disponível no 156.


Compartilhe: