RETRAÇÃO

PIB brasileiro recua em 24 das 27 UFs em 2020, primeiro ano da pandemia, aponta IBGE

Rio Grande do Sul teve a maior queda em volume e acabou ultrapassado pelo Paraná como quarta economia do País

Compartilhe:

O PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil atingiu R$ 7,6 trilhões em 2020, primeiro ano de pandemia. O resultado, divulgado nesta quarta-feira (16) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), aponta um recuo de 3,3% em volume.

Houve quedas no PIB de 24 das 27 unidades da federação, estabilidade no Mato Grosso e variações positivas em Mato Grosso do Sul (0,2%) e Roraima (0,1%). Resultado obtido graças sobre à agropecuária.

Além disso, com a terceira maior variação em volume, o Mato Grosso assumiu a terceira posição do PIB per capita, até então do Rio de Janeiro. No acumulado, esse é o maior crescimento na série, entre as 27 UFs.

Efeito da estiagem

O Rio Grande do Sul teve a maior queda em volume (-7,2%) e acabou ultrapassado pelo Paraná como quarta economia do País. Segundo o IBGE, no Estado, o resultado foi motivado pela agricultura, impactada pela estiagem em 2020, e pelas Indústrias de transformação, devido ao segmento de preparação de couros.

Depois do Rio Grande do Sul, também com quedas abaixo da média do País, vieram o Ceará (-5,7%), o Rio Grande do Norte (-5,0%), o Espírito Santo (-4,4%), Rondônia (-4,4%) e a Bahia (-4,4%). Os demais recuos foram em Alagoas (-4,2%), Acre (-4,2%), Pernambuco (-4.1%%), Paraíba (-4,0%), Piauí (-3,5%) e São Paulo (-3,5%).

As cinco regiões brasileiras registram queda, em volume, no PIB. A região Sul como um todo obteve a maior queda em volume do PIB (-4,2%), entre 2019 e 2020, devido principalmente ao desempenho de Rio Grande do Sul.


Compartilhe: