Sem previsão

Paraná confirma segunda morte em deslizamento na BR-376

Governo avalia que entre 30 a 50 pessoas podem estar desaparecidas após talude que segurava parte de um morro desmoronar.

Compartilhe:

O Corpo de Bombeiros do Paraná confirmou, de forma oficial, a segunda morte no desabamento da BR-376, em Guaratuba, no sul daquele estado. Parte de uma encosta, onde havia um talude de contenção, desmoronou por causa da chuva intensa. A montanha de terra atingiu pelo menos 20 veículos que estavam no quilômetro 669 da rodovia na noite de segunda-feira (28).

Ao todo, seis pessoas foram resgatadas com vida do local do deslizamento. Guinchos, cães treinados e drones com câmera com identificação térmica estão sendo usados por equipes dos Bombeiros do Paraná e de Santa Catarina para encontrar sinais de sobreviventes. O tempo instável, com chuva persistente, atrapalha mas não impede a realização dos trabalhos.

“A dificuldade é que as previsões é de um aumento das chuvas. A área é de risco e tende com esses chuvas a piorar, mas continuamos lá com a mesma quantidade de efetivo, 54 bombeiros”, informou o Coronel Manoel Vasco, comandante do Corpo de Bombeiros do estado, em entrevista coletiva a imprensa hoje (30).

Os Bombeiros avaliam que, pela quantidade de veículos atingidos, entre 30 a 50 pessoas possam estar desaparecidas. Familiares e amigos de pessoas que possam ter desaparecido nesse local podem entrar em contato com a Central de Atendimento da Polícia Científica, pelo telefone (41) 3361-7242. O serviço funciona 24 horas. Além disso, outras informações sobre o evento podem ser obtidas pelo telefone da Centro de Operações Cidade da Polícia do Paraná: 0800-282-8082.

Não há prazo para liberação

Os bloqueios na BR-376 começaram no início da tarde de segunda-feira, quando parte da encosta caiu no quilômetro 669. O trânsito ficou em apenas uma pista. Horas depois, parte da montanha que costeia a estrada terminou de ceder, atingindo veículos que estavam na faixa de rolamento.

Ainda não há prazo para liberação da rodovia. O tráfego está bloqueado na praça de pedágio em São José dos Pinhais (sentido Santa Catarina), no km 635, e em Garuva (sentido Curitiba), no km 1. São áreas com possibilidade de retorno para que ninguém fique preso na rodovia enquanto a pista não for liberada.

No momento, o único trajeto disponível para acessar o litoral paranaense é pela BR-116, sentido Rio Negro, e seguindo para Joinville antes de retornar ao Paraná, passando por Garuva. A outra rota alternativa, a pela Serra Dona Francisca (SC-418), além de perigosa com o tempo chuvoso, enfrenta problemas de deslizamentos de terra em vários pontos.

O DER/PR recomenda que, caso seja possível, os usuários evitem se deslocar rumo ao litoral paranaense enquanto a situação não é amenizada, uma vez que a previsão de mais chuvas está mantida pelos próximos dias, o que, além de agravar a situação, prejudica os serviços de recuperação das rodovias.


Compartilhe: