Sinistro

Nova Santa Rita: empresa destruída por incêndio tem alvará cassado

Incêndio ocorreu há oito dias no bairro Pedreira. Um homem morreu após sofrer uma parada cardiorrespiratória.

Compartilhe:
Crédito: Marcelo Possamai/Prefeitura de Nova Santa Rita

A Prefeitura de Nova Santa Rita, na região metropolitana de Porto Alegre, cassou o o alvará de licença e localização da empresa Dorf Ketal. A filial da indústria química foi destruída por um incêndio há pouco mais de uma semana. Um homem, que era morador do bairro Pedreira, morreu após sofrer uma parada cardiorrespiratória.

Moacir Serpa Godói, secretário de Indústria, Comércio e Desenvolvimento, afirma que o prédio que abrigou a empresa foi muito danificado pelo incêndio e não tem segurança para ser mantido. “Considerados os fatos registrados pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Defesa Civil e Secretaria do Meio Ambiente, que dizem respeito à falta de condições de segurança no prédio, devido ao incêndio ocorrido, tomamos essa medida”, apontou.

Já o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Juliano Furquim, pontua que uma análise técnica desenvolvida no local condenou a planta industrial. “Através da nossa equipe de fiscalização, baseados no código de obras lei 887/2008, foi feita uma vistoria pelo engenheiro da Prefeitura, que apontou significativo dano estrutural nas edificações. Diante dessa situação, foi emitido o Termo de Interdição afim de resguardar a segurança no local”.

A solução determinada pela Prefeitura de Nova Santa Rita é a demolição do que sobrou da empresa. O terreno ainda está embargado e com resíduos de produtos químicos, que só poderão ser removidos após análise de documentos apresentados pela Dorf Ketal.

Parte dos produtos usados pela empresa vazaram durante o incêndio, atingindo um banhado nas proximidades. No entanto, não houve vazamento para o rio dos Sinos, que fica próximo. A Dorf Ketal contratou uma empresa privada, que fez a coleta do produto e instalou barreiras de contenção, o que evitou que os químicos causassem danos ao meio-ambiente.

Crédito: Marcelo Possamai/Prefeitura de Nova Santa Rita


Compartilhe: