BENEFÍCIO

Famílias de baixa renda têm direito a desconto na conta de luz da CEEE Equatorial; Saiba mais

De acordo com a CEEE Equatorial, nos 72 municípios atendidos pela companhia no Rio Grande do Sul, atualmente, existem 178 mil famílias beneficiadas.

Compartilhe:

Famílias de baixa renda têm direito a desconto de até 65% na conta de luz, comunicou a CEEE Equatorial.

De acordo com a CEEE Equatorial, nos 72 municípios atendidos pela companhia no Rio Grande do Sul, atualmente, existem 178 mil famílias beneficiadas pela TSEE (Tarifa Social de Energia Elétrica), programa que beneficia inscritos no Cadastro Único do Governo Federal identificados como baixa renda (até 3 salários mínimos), quilombolas, indígenas, que recebam o BPC (Benefício da Prestação Continuada) ou cujo procedimento médico requeira consumo de energia elétrica.

Mas, vale um alerta: há clientes com essas características que podem receber o benefício, mas nunca se cadastraram junto à CEEE.

“Na concessão da companhia de energia, estão perdendo a oportunidade de pagar uma conta mais barata outras 200 mil famílias. Além disso, existem aquelas que já recebem o benefício, mas podem perder por não se enquadrarem na renda necessária ou simplesmente por falta de atualização cadastral”, disse a companhia.

O cadastro deve ser atualizado a cada dois anos junto aos CRAS (Centros de Referência à Assistência Social) das prefeituras municipais.

Descontos

Segundo a CEEE Equatorial, a TSEE traz descontos no valor mensal do consumo das famílias beneficiadas. Veja os descontos por consumo:

  • para consume até 30 quilowatts/hora, a redução é de 65%;
  •  de 31 a 100 kWh/mês, o valor fica 40% menor;
  • de 101 kWh a 220 kWh, a redução é de 10%;
  • acima dos 220 kWh/mês o custo da energia é o mesmo dos consumidores que não recebem o benefício.

As famílias indígenas e quilombolas têm descontos maiores.

  • As famílias inscritas no CadÚnico têm desconto de 100% até o limite de consumo de 50 kWh/mês;
  • de 40% para consumo a partir de 51 kWh/mês;
  • de 10% para consumo de 101 kWh a 220 kWh.
  • para os que consomem acima dos 220 kWh/mês o custo é similar à dos consumidores sem o benefício.
Infográfico CEEE Equatorial (Arte: Rosana Klafke/Agora RS)

Compartilhe: