COLETIVA

Guerra comunica novo departamento de futebol do Grêmio e responde sobre Luis Suárez

Alberto Guerra afirmou que o departamento de futebol do Grêmio será o responsável pelos reforços do elenco gremista.

Compartilhe:
Foto: Luciano Amoretti/Grêmio

Na noite desta quarta-feira (16), Alberto Guerra realizou sua primeira coletiva como presidente do Grêmio.

Ele comunicou o novo departamento de futebol do Grêmio. O advogado Paulo Saint Pastous Caleffi, 40 anos, é o novo vice-presidente de futebol do Grêmio. Caleffi terá Antônio Brum, 39 anos, como seu diretor. Ele é cirurgião dentista e empresário da área.

“Eles estão ao meu lado faz muitos anos. Quando não renovamos, nos acusam de serem sempre os mesmos. Colocamos gente nova, que conhece futebol. Não existe faculdade para o futebol, aprendemos no dia a dia. São pessoas que convivem e vivem o Grêmio. Fizeram parte deste núcleo próximo. Estamos cumprindo uma renovação e gente que conhece futebol”, ressalto Guerra.

Renovação e reforços 

Guerra ressaltou que Caleffi  Brumos são os responsáveis pela busca de um diretor-executivo, dos reforços e da finalização da negociação para a renovação de Renato Gaúcho.

Na coletiva, o presidente do Grêmio também respondeu sobre os reforços, Luis Suárez foi o destaque nas perguntas.

“Fizemos uma proposta, condicionada a vitória na eleição. E que já foi negada por ele no sábado de manhã. Agradeceu e disse que o plano dele era jogar na MLS. Nossa proposta era acima do que ele tinha na MLS”, afirmou Guerra.

Em relação a permanência de Renato, Guerra disse que tem certeza que vai dar tudo certo. “Tenho muita convicção que vamos manter ele. Agora, se tem uma negociação é porque ela pode minimamente falhar. Mas, acho que vai dar tudo certo sim”, afirmou.

Na coletiva, Guerra também foi questionado sobre a renovação do grupo do Grêmio. “Cada jogador é um caso. Eu entendo a pressa do torcedor, mas a gente tem um projeto de 3 anos. Não podemos nos atirar para tentar evitar críticas. Temos dois meses até a estreia no Gauchão”, respondeu o dirigente, mas sem citar nenhum nome.

“Não posso dar uma porcentagem, de quem fica ou não sobre os jogadores, temos um departamento de futebol, começamos agora, temos um projeto de três anos”, completou.


Compartilhe: