Notícia

Porto Alegre sedia encontro que debate o Presente e o Futuro da Oncologia no Brasil

Porto Alegre tem em suas estatísticas as neoplasias entre as principais causas de óbito, ao redor de 20%.

Compartilhe:
Maira Caleffi, médica mastologista e presidente do Conselho de Administração do IGCC. Foto: Andréa Graiz/Divulgação

 

O IGCC (Instituto de Governança e Controle do Câncer) promove, nesta terça-feira (25), às 18h, no Hotel Hilton, em Porto Alegre, painel que terá como tema “O Presente e o Futuro da Oncologia no Brasil”.

O destaque do evento será a presença da vice-presidente executiva e médica-chefe da (Sociedade Americana de Oncologia Clínica), Julie Gralow, que estará pela primeira vez em Porto Alegre.

Ela é professora emérita de oncologia médica na Faculdade de Medicina da Universidade de Washington, onde atuou por mais de 25 anos no corpo docente dirigindo o programa de Oncologia Médica de Mama.

A médica também é cofundadora da Team Survivor Northwest, uma organização sem fins lucrativos que visa ajudar mulheres sobreviventes de câncer a melhorar sua saúde por meio de exercícios e condicionamento físico.

Em relação ao painel, além de tratar de temas como a importância do diagnóstico precoce, da mudança de hábitos e capacitação da atenção primária, o principal objetivo é identificar ações e políticas nacionais e globais para o enfrentamento ao câncer.

Para enfrentar essa realidade e fortalecer a abordagem multidisciplinar e a padronização da gestão e atendimento de pacientes oncológicos, o C/Can (City Cancer Challenge Foundation) vem desenvolvendo o projeto de melhoria ao Acesso à gestão de qualidade do tratamento de câncer em parceria com os profissionais da saúde de Porto Alegre.

Desde 2018 a capital gaúcha é uma das cidades parceiras do C/Can, entidade que apoia municípios ao redor do mundo no intuito de melhorar o acesso equitativo ao diagnóstico e tratamento de cânceres.

O IGCC trabalha, desde 2021, em parceria com o C/Can neste projeto com o objetivo de que haja uma rede de apoio de organizações públicas, privadas e da sociedade local para identificar os principais desafios do município e adaptar planos de ação para soluções adaptadas localmente.

Dados

Porto Alegre tem em suas estatísticas as neoplasias entre as principais causas de óbito, ao redor de 20%. Mundialmente, a ameaça do câncer também continua crescendo.

Em 2020 a doença tirou 10 milhões de vidas em todo o mundo, ou seja, mais de um quarto de todas as mortes naquele ano.

Além disso, estimativas da Organização Mundial de Saúde preveem que mais de 13 milhões de pessoas morrerão de câncer anualmente até 2030.

O dado se torna ainda mais alarmante, quando consideramos que 70% das mortes relacionadas ao câncer em 2020 foram registradas em países de baixa e média renda, como o Brasil.

Diante destes índices, outro importante projeto realizado é a Padronização do Manejo do Tratamento de pacientes com câncer de mama e de próstata.

A sua elaboração envolveu grande parte da sociedade médica porto-alegrense, grupos de experts internacionais e a equipe técnica do C/Can.

O evento também  terá a participação do líder técnico global do C/Can, Rolando Camacho, do chefe da Divisão de Detecção Precoce e Apoio a Organização de Rede no Inca (Instituto Nacional de Câncer), Arn Migowski, da presidente do Conselho de Administração do IGCC, Maira Caleffi, e do prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo.


Compartilhe: