Crime reiterado

Dois policiais federais são feridos pelo ex-deputado Roberto Jefferson no RJ

Segundo a PF, os agentes teriam sido recebidos com tiros de fuzil e com a explosão de granadas durante tentativa de cumprimento de ordem de prisão.

Compartilhe:

Dois policiais federais que cumpriam uma ordem de prisão contra o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB) foram feridos neste domingo (23). As ordens judiciais se referem a revogação da prisão domiciliar, a que ele estava submetido, a pedido do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes. Jefferson vinha, repetidamente, violando a determinação de não utilizar redes sociais por estar cumprindo pena.

Os dois policiais foram feridos sem gravidade. Um deles teve lesões cabeça e na perna e uma agente na cabeça. Os dois foram atendidos em um hospital da região e já tiveram alta. Após o ataque à primeira equipe, outras guarnições da Polícia Federal, da PMERJ (Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro) e da PRF (Polícia Rodoviária Federal) foram deslocadas para a região.

Os ataques ocorreram quando os policiais federais chegaram à residência do ex-deputado, que é ferrenho apoiador do atual presidente Jair Bolsonaro (PL). Eles teriam sido recebidos com dois tiros de fuzil e com a explosão de três granadas, segundo a PF.

Ontem, o ex-deputado chamou a ministra Cármen Lúcia, do STF, de “Cármen Lúcifer” e a comparou a “prostitutas” em um vídeo publicado por sua filha, a ex-deputada Cristiane Brasil (PTB) nas redes sociais. A ABJD (Associação Brasileira de Juristas pela Democracia) havia pedido ao ministro do STF Alexandre de Moraes que revogasse a prisão domiciliar de Jefferson por ter descumprido ordens judiciais.

Ao determinar a prisão domiciliar do ex-deputado, Moraes o havia proibido de usar as redes sociais, o que foi descumprido. Os vídeos eram postados pelas contas de Cristiane que, hoje, chamou a instituição Polícia Federal de “milícia do Xandão”, em referência do ministro Alexandre de Moraes. A conta dela foi bloqueada pouco tempo depois pelo Twitter.

O ex-deputado não foi preso até as 16h15 da tarde deste domingo. Agentes da PF seguem na casa de Jefferson para o cumprimento do mandado judicial de prisão.

PF se manifesta por meio de nota

A Polícia Federal emitiu uma nota sobre a operação em Levy Gasparian, no RJ. Leia abaixo:

A Polícia Federal informa que, na data de hoje (23/10), cumpre mandado de prisão expedido pelo Supremo Tribunal Federal, na cidade de Levy Gasparian, no estado do Rio de Janeiro.

Durante a diligência, o alvo do mandado reagiu à ordem de prisão anunciada pelos policiais federais. Na ação, dois policiais foram feridos por estilhaços de granada arremessada pelo alvo e levados imediatamente ao pronto socorro. Após o atendimento médico, ambos foram liberados e passam bem.

A equipe da PF foi reforçada e os policiais permanecem no local com o objetivo de cumprir a determinação judicial.


Compartilhe: