NA LIBERTADORES

Crônica Inter 2 x 1 Ceará: Inter, torna-te quem tu és

Colorado superou as adversidades e conquistou a virada na etapa final, garantindo a vaga na Libertadores de 2023

Compartilhe:

Muitas vezes na vida, mesmo quando já adultos, nos pegamos chorando pelos mesmos motivos de sempre, rindo das mesmas piadas, e até mesmo cometendo os mesmos equívocos. Algo em nós, uma espécie de fantasma, se repete incessantemente, não obstante os esforços que façamos para nos tornarmos outra coisa.

Torna-te quem tu és, diria o filósofo. Talvez a maturidade venha dessa percepção de que o que podemos fazer é viver e nos conduzir com os afetos que nos constituem. O paradoxo de que o que somos não é algo dado, mas que, ao contrário, devemos cultivar cotidianamente, sob punição de vivermos alienados de nossa condição.

O Inter entrou em campo no Beira-Rio para enfrentar o Ceará, na noite desta quarta-feira (26), podendo confirmar a classificação para a fase de grupos da Libertadores de 2023. Bastava uma vitória. Tudo levava a crer, pelo momento do Inter de Mano Menezes, que o Colorado encaminharia o resultado, sem grandes percalços.

Porém, o Inter teve um susto no primeiro tempo, após o Ceará abrir o placar em um gol de pênalti. Nesse momento, adentra no estádio, também como um fantasma, que talvez clubes de futebol também tenham um inconsciente, a sensação de que o Colorado repetiria uma sina comum nos últimos anos. A de que na hora que a torcida mais espera, o placar desejado não vem.

Sabe-se lá que tipo de sentimento tem se abatido na atmosfera alvirrubra nos últimos anos. O Inter, até alguns anos um clube de grandes feitos, de grandes títulos internacionais, de goleadas em Gre-Nais, passou a conviver com o discurso do “ah, isso só acontece com o Inter”, típico de clubes fadados ao fracasso.

Mas a noite desta quarta-feira foi de catarse no Beira-Rio. A virada veio no segundo tempo e o Inter está na Libertadores. Torneio no qual tem grandes histórias guardadas na memória, fazendo parte da própria identidade do clube. Participando da competição continental, o Inter está mais próximo de ser o que é.

O jogo

Diferente do que se esperava. o Ceará trouxe dificuldades para o Inter. Mano teve desfalques para iniciar a partida e o Colorado foi a campo um pouco descaracterizado. Alemão, Bustos e Johnny tiveram quadro viral e ficaram de fora da partida.

Com nítidos problemas de entrosamento e dificuldades de ter consistência defensiva, na primeira etapa a equipe gaúcha teve falhas técnicas e não conseguia se impor taticamente.

Para piorar, o Ceará abriu o placar logo aos 5 minutos, em um pênalti cobrado por Lima. Após o gol, o Inter não conseguia criar. O jogo foi para o intervalo com uma certa tensão no Beira-Rio, mas com a torcida ainda apoiando.

No segundo tempo, Mano fez trocas e o Inter voltou mais ligado. Até que, aos 19, o Inter tocou a bola até ela chegar em De Pena na esquerda. Ele cruzou rasteiro e Edenilson, sem dificuldade, fez o gol.

Vieram mais trocas e o Inter seguia em busca da vitória. Aos 29, em uma jogada aérea do Inter, Moledo chuta e a bola toca no braço de Luiz Otávio, do Ceará. Pênalti. Alan Patrick cobrou e colocou o Inter em vantagem.

O Ceará, temendo o rebaixamento, foi com tudo ao ataque, mas o pior não aconteceu. O jogo terminou e o Inter está de volta à Libertadores.

Situação e próximo jogo

O Inter tem agora 64 pontos e é vice-líder. O Colorado está a 13 pontos de vantagem do Athletico-PR, sexto colocado. Assim, pelos cenários possíveis, o Inter está na fase de grupos da Libertadores.

O próximo jogo do Inter é contra o América-MG, em Minas Gerais. A partida será realizada na quarta-feira (2), às 16h.

Escalações

Inter

Keiller; Igor Gomes (Weverton), Moledo, Vitão e Renê; Edenilson e De Pena; Pedro Henrique (Mauricio), Alan Patrick (Lucas Ramos), Wanderson (Taison); Braian Romero (David) –4-5-1Técnico: Mano Menezes

Ceará

João Ricardo; Nino Paraíba (Michel Macedo), Luiz Otávio, Gabriel Lacerda, Bruno Pacheco (Guilherme Castilho); Lima, Geovane (Iury Castilho), Fernando Sobral e Diego Rigonato (Victor Luís); Vina e Cléber (Zé Roberto) –4-4-2Técnico: Lucho González

Arbitragem

Árbitro: Ramon Abatti Abel (SC)
Auxiliar: Eder Alexandre (SC)
Auxiliar: Thiaggo Americano Labes (SC)
VAR: Daiane Caroline Muniz dos Santos (Fifa-SP)


Compartilhe: