Síndico é preso após denúncias de irregularidades em condomínio de Farroupilha

Síndico é investigado por constrangimento ilegal, ameaças, extorsões e cobranças indevidas contra os moradores.

Compartilhe:

Um síndico de um condomínio residencial do programa “Minha Casa, Minha Vida” foi preso, na manhã desta segunda-feira (12), em Farroupilha, na Serra gaúcha. Ele é investigado após denúncias de constrangimento ilegal, ameaças, extorsões e cobranças indevidas contra os moradores. O condomínio tem 16 blocos residenciais e mais de 300 apartamentos.

O homem de 44 anos teria movimentado mais de R$ 2 milhões de reais desde 2015, segundo a polícia. O ex-síndico é investigado há, pelo menos, um ano e meio. Para a polícia, há cerca de 8 mil ações do investigado que podem ser enquadradas como crime. O indivíduo pode responder pelos crimes de apropriação indébita, extorsão e ameaça.

Durante as investigações, os policiais conseguiram identificar que o patrimônio do investigado era incompatível com a sua renda. Os policiais conseguiram identificar que a empresa que presta o serviço de zeladoria do condomínio pertence à mulher do síndico. O escritório da empresa era localizado na guarita do condomínio empresarial.

Outro fato identificado nas investigações, conforme o delegado Éderson Bilhan, é a cobrança de água que abastecia os apartamentos. A água era proveniente de um poço artesiano de “duvidosa legalidade”, mas com cobranças como se o serviço fosse realizado pela concessionária. Quem não pagava a “taxa de água”, tinha o hidrômetro cortado em até três dias.

Ele foi preso de forma preventiva. Além do síndico, o subsíndico foi afastado do cargo. Buscas foram realizadas em cinco endereços. Cinco automóveis e uma casa na praia foram bloqueados pela Justiça. O condomínio vizinho também está sob investigação.

A Polícia Civil tem dez dias para concluir o inquérito policial acerca dos fatos investigados. Moradores que presenciaram atitudes do síndico devem procurar a delegacia de Polícia de Farroupilha para a tomada de depoimentos.


Compartilhe: