Rio Grande do Sul registra o menor excesso de mortalidade por covid-19 do país

Os dados foram apresentados durante a reunião do Gabinete de Crise do Governo do Rio Grande do Sul.

Compartilhe:

Levantamento apontando o Rio Grande do Sul como estado que teve o menor número de excesso proporcional de óbitos de covid-19 no país entre março de 2020 e maio de 2022, foi apresentado nesta quarta-feira (28).

Os dados foram apresentados durante a reunião do Gabinete de Crise do Governo do Rio Grande do Sul. O levantamento intitulado Excesso de Óbitos e Taxa de Mortalidade no Brasil mostra que o estado gaúcho apresentou 25,7% mais óbitos do que o esperado para o período pesquisado, menor indicador entre os estados brasileiros.

A média nacional ficou em 34,5%, sendo o maior número de excesso de mortes registrado no Amazonas, com 60,2%. Para o estudo, utilizam-se os resultados da metodologia desenvolvida pela organização de saúde pública Vital Strategies, que compõe o painel do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde).

O excesso de óbitos busca identificar o diferencial entre o número de mortes por causas naturais durante a pandemia em comparação com o que seria esperado para o mesmo período.

O indicador constitui um acompanhamento que complementa a análise da mortalidade nas regiões, permitindo verificar os efeitos de causas diretas e indiretas, bem como apontar indícios de diferenciais de subnotificação dos óbitos por covid-19 entre as localidades.

Como é feito o cálculo

O cálculo do Excesso de Óbitos, ao comparar o total de mortes por causas naturais com o que seria esperado para determinada localidade, leva em consideração as diferenças populacionais de gênero e pirâmide etária em cada estado, assim como suplantar o problema da subnotificação.

No caso brasileiro, o Rio Grande do Sul apresenta atualmente a 10ª maior taxa de mortalidade por covid-19 entre os outros estados.

No entanto, apresenta o menor excesso proporcional de óbitos do país considerando o acumulado de todo o período. Em contraposição, os estados de Maranhão e Alagoas, que estão entre as menores taxas de mortalidade do país, apresentam, respectivamente, o 6º e o 12º maiores excessos proporcionais de óbitos.


Compartilhe: