Justiça condena advogado que cometia abusos sexuais contra crianças em Canoas

Condenado era réu em uma ação que investigava o estupro de três meninas, vizinhas dele em um condomínio de Canoas.

Compartilhe:

Um advogado de Canoas foi condenado, na segunda-feira (12) a 51 anos e 4 meses de prisão em regime fechado. Ele era réu em uma ação que investigava o estupro de três meninas, vizinhas dele em um condomínio do município da região metropolitana.

A sentença é da Juíza de Direito da 2ª Vara da Criminal de Canoas, Patrícia Tonet. O réu está preso desde novembro do ano passado. Ainda cabe recurso da decisão.

A denúncia, recebida em 17/12/21, relata que uma das crianças teria sido abusada sexualmente, mais de uma vez, entre 2017 e 2021, a outra entre 2019 e 2021 e a terceira entre 2020 e 2021. A prisão preventiva do réu foi decretada em novembro do ano passado e desde essa data ele permanece preso. Foram ouvidas 33 pessoas, entre testemunhas e informantes.

Na decisão, a magistrada concluiu que o réu trata-se de “pessoa com personalidade dissimulada e perversa”. Segundo as provas colhidas e apresentadas nos autos, o homem usava o próprio filho para convencer meninas a irem até o apartamento dele, onde eram cometidos os abusos.

“Mediante diversos modus operandi, abusou sistematicamente de crianças que frequentavam livremente sua residência, duas delas com a permissão e confiança dos pais”, afirmou a juíza. Conforme consta na sentença, em um dos casos houve emprego de grave ameaça com promessas de mal à vítima e aos pais dela, o que garantiu o silêncio dela durante anos e viabilizou a reiteração dos atos criminosos.


Compartilhe: