Em meio à onda de violência, governo do RS divulga indicadores criminais no Estado

Segundo os dados do governo do Estado, entre os homicídios, o Rio Grande do Sul teve 152 vítimas em agosto, uma alta de 32,2%.

Compartilhe:

O governo do Rio Grande do Sul, através da SSP (Secretaria da Segurança Pública), publicou nesta sexta-feira (9), os indicadores criminais do Estado referentes ao mês de agosto.

A divulgação ocorre em meio à uma onde de violência no território gaúcho, principalmente na Capital e na Região Metropolitana, por causa das guerras entre facções.

“A divulgação mantém o compromisso de transparência e prestação de contas do serviço essencial de proteção da sociedade”, disse o governo do Estado.

Homicídios

Segundo os dados do governo do Estado, entre os homicídios, o Rio Grande do Sul teve 152 vítimas em agosto, uma alta de 32,2% frente as 115 do mesmo mês em 2021. No acumulado, o Estado soma 1.088 vítimas, onze a mais que nos oito meses do ano passado.

Em Porto Alegre, em agosto os homicídios subiram de 13 no ano passado para 26 neste ano, um aumento de 50% No acumulado, a Capital também registra alta nos assassinatos, a soma subiu 7,1%, de 183 para 196.

Latrocínios

Os dados do Estado como um todo apontam redução de 25% nos latrocínios em agosto, com quatro casos em 2021 e três neste ano.

De acordo com o governo do Estado, no acumulado de oito meses, o Rio Grande do Sul teve em 2022 oito casos de roubo com morte a menos que no ano anterior, passando de 43 para 35 ocorrências, uma redução de 18,6%.

Em Porto Alegre, foi registrado um latrocínio em agosto de 2022, enquanto no mesmo mês do ano passado não foram registrados latrocínios. Considerando a soma dos oito primeiros meses de 2021 e deste ano, os roubos com morte em Porto Alegre reduziram 40%, baixando de dez para seis no período.

Feminicídios

Os indicadores criminais do oitavo mês no Estado apontam queda de feminicídios em relação ao mesmo período do ano passado. O número de vítimas caiu 50%, de 14 para sete casos.

Entre essas sete mulheres assassinadas por motivo de gênero no mês, apenas uma contava com medida protetiva de urgência (MPU). A redução do mês ainda não foi capaz de reverter o acumulado do ano.

“Desde janeiro, o Rio Grande do Sul contabiliza 75 feminicídios, três a mais que nos oito meses iniciais de 2021, o que representa uma alta de 4,2%”, disse.

Violência contra a mulher

Entre os outros quatro indicadores de violência contra a mulher acompanhados pela SSP, além do feminicídio, a variação dos números em agosto foi de redução nas lesões corporais, estupros e ameaças.

Nas tentativas de feminicídios foi verificado um caso a mais em relação a agosto do ano passado, de 22 para 23 neste ano. No acumulado do ano, as lesões corporais estão em alta de 1%.

Roubo de veículos

Entre os crimes patrimoniais, o roubo de veículos teve alta de 15,5% em agosto, passando de 316 ocorrências no oitavo mês de 2021 para 365 neste ano, um aumento de 49 casos.

No acumulado, esse tipo de crime manteve a redução, somando 2.981 registros, frente aos 3.348 do mesmo período no ano anterior, uma baixa de 11%.

Em Porto Alegre, cidade que tem a maior frota veicular e concentra a maior parte dos delitos desse tipo no Estado, o quadro foi de alta em agosto, com 160 roubos de veículos, frente aos 109 que foram registrados no mês em 2021.

No acumulado, houve redução na capital, que soma 1.172 casos desde janeiro, 9,8% menos que os 1.300 de igual período no ano passado.


Compartilhe: