Crônica Inter 0 x 0 Bragantino: não havia margem para erro

Com o resultado, ao invés de diminuir, a distância do Inter, que foi ultrapassado pelo Fluminense e agora é terceiro da competição nacional, para o Palmeiras, foi alargada para 10 pontos

Compartilhe:

Os últimos resultados permitiram ao Inter erigir o sonho de tirar uma larga distância que havia para o líder do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras. Para atingi-lo, era necessário algo muito difícil na vida. Não errar.

Tirar da cartola em todas as partidas momentos de inspiração, espantar para bem longe toda e qualquer incerteza, e, talvez o mais difícil, contar com o acaso de que o Verdão, um dos melhores times do país, fosse tropeçar um número suficiente de vezes que torna-se possível o título colorado.

E esse sonho foi alimentado pela torcida. Por um momento pareceu real a chance de que o improvável acontecesse. Mas muitas vezes o porvir simplesmente confirma o que parece mais lógico.

Escrito de modo direto, para dar o tom ordinário dos acontecimentos a seguir, o Inter não passou do empate em zero a zero com o Bragantino, na noite desta quarta-feira (28), no Beira-Rio. Ao mesmo tempo, em Minas Gerais, o Palmeiras venceu o Atlético-MG por 1 a 0.

Com isso, ao invés de diminuir, a distância do Inter, que foi ultrapassado pelo Fluminense e agora é terceiro da competição nacional, para o Verdão foi alargada para 10 pontos. A chance de título em 2022 praticamente se desfez. O sonho foi só um sonho.

O jogo

O primeiro tempo foi movimentado mas de poucas chances. O Inter tentou se impor desde o início, mas o Bragantino se segurou. O Colorado tinha problemas de meio campo, sobretudo pelas atuações abaixo de Alan Patrick e Edenilson.

A relação de Edenilson com a torcida colorada se complicou. O jogador ouviu vaias do torcedor já no anúncio da escalação e depois ao longo da partida. Quanto mais o gol custava a sair, mais as vaias eram direcionadas ao camisa 8.

Outro destaque foi a atuação do árbitro, que optou por um jogo mais corrido. Porém, em algumas situações ficou a sensação de que a falta poderia ter sido marcada.

As principais chances do jogo vieram no segundo tempo, quando o Inter se abriu ainda mais, já que precisava do resultado. Pedro Henrique deu bom chute aos 16. O Bragantino respondeu com Luan Cândido, aos 19.

Depois, Taison e Maurício foram ao jogo e Edenilson foi deslocado para a lateral direita. Foi quando o Inter teve sua principal chance na partida, sem goleiro, com Maurício, aos 25. A partir daí, o ritmo de produção diminuiu e entrou em cena a impaciência da torcida.

Houve tempo apenas para duas defesas de Keiller. Primeiro aos 40, em chute de Popó. Depois, aos 46, em falta cobrada por Artur.

Situação e próximo jogo

Com o resultado, o Inter é terceiro colocado com 50 pontos. O Palmeiras é líder, com 60 pontos. Agora o Inter tem mais um jogo em casa. O Colorado enfrenta o Santos, no sábado (1º), às 15h.

Escalações

Inter

Keiller; Igor Gomes (Mauricio), Vitão, Mercado e Renê; Gabriel e De Pena; Edenilson, Alan Patrick (Taison) e Pedro Henrique (David); Alemão (Romero) – 4-5-1Técnico: Mano Menezes

Bragantino

Cleiton; Aderlan, Léo Ortiz, Natan e Luan Cândido; Raul, Lucas Evangelista (Jadsom Silva); Artur, Hyoran (Sorriso) e Helinho (Eric Ramires); Carlos Eduardo (Popó) – 4-5-1Técnico: Mauricio Barbieri

Arbitragem

Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (Fifa-RJ)
Auxiliar: Thiago Henrique Neto Correa Farinha (RJ)
Auxiliar: Márcia Bezerra Lopes Caetano (RO)
VAR: Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro (Fifa-RN)


Compartilhe: