Homem de Farroupilha que era considerado desaparecido é preso em Florianópolis

O homem, que é de Farroupilha, passará a ser investigado por suspeita de forjar o próprio sequestro e de tentar extorquir a esposa.

Compartilhe:

O servidor público Cristian Tonin, 38 anos, que era considerado desaparecido desde a tarde de terça-feira (30), foi encontrado e preso. Ele estava em Florianópolis (SC). O homem é, a partir de agora, suspeito de forjar o próprio sequestro e de tentar extorquir a esposa. Tonin trabalhava como “assessor superior de assuntos estratégicos” da prefeitura de Farroupilha.

O registro do desaparecimento foi feito na noite de terça-feira (30) pela esposa do homem. Segundo ela, a última conversa entre os dois foi pelo celular, próximo das 15h desta terça, quando ele teria dito que estava ficando sem bateria no aparelho. Tonin que realizaria uma caminhada no Parque dos Pinheiros, em Farroupilha, mas não foi mais visto.

Na manhã desta quarta-feira, a mulher recebeu ligações, onde um homem dizia ser um sequestrador e pedia dinheiro para liberar o assessor. A partir da ligação, a polícia descartou a hipótese de desaparecimento e passou a considerar a possibilidade de extorsão mediante sequestro.

A Polícia Civil, a partir destes dados, avançou na investigação e conseguiu rastrear os passos de Tonin. “Os indícios apontam que o desaparecido não estaria sequestrado”, afirmou o delegado Éderson Bilhan. “[Ele] forjou o próprio sequestro e extorquiu a própria companheira exigindo valores para que sua liberdade fosse restabelecida”, concluiu.

“As diligências investigativas apontaram que Cristian comprou passagem na rodoviária de Farroupilha às 15:59 de ontem (dia 30), embarcou num ônibus para Bento Gonçalves às 16:10h, chegou em Bento às 17:29 e minutos depois embarcou em outro Para Porto Alegre e próximo das 23h embarcou para Florianópolis”, afirma o delegado.

“Desaparecido” é preso

Para completa reviravolta do caso, a polícia também descobriu que ele tinha comprado passagens de volta para Porto Alegre nesta quarta-feira. De posse da informação, a Polícia Civil de Santa Catarina foi informada e Tonin foi abordado no ônibus onde viria para a Capital gaúcha.

Segundo a Polícia Civil de SC, o homem estava de posse de duas armas de fogo, registradas em nome dele. Embora tenha posse, ele não tem porte de arma, ou seja, não pode ter consigo uma arma de fogo fora das dependências de sua residência ou local de trabalho. Tonin foi preso em flagrante delito e encaminhado para o sistema prisional de Santa Catarina.

“Todos os elementos colhidos serão minuciosamente analisados e o caso será tratado com o mais absoluto rigor que lei preconiza em casos como tal”, conclui o delegado Bilhan.


Compartilhe: