Governo do RS emite alerta epidemiológico sobre varíola dos macacos

A varíola dos macacos já foi registrada em 14 cidades gaúchas, de acordo com o último boletim da SES.

Compartilhe:

O Cevs (Centro Estadual de Vigilância em Saúde) publicou, nesta quarta-feira (10), um alerta epidemiológico sobre a situação da varíola dos macacos no Rio Grande do Sul (monkeypox).

O documento reforça as medidas de vigilância epidemiológica a serem adotadas pelos serviços de saúde, tanto da rede pública quanto da rede privada, incluindo laboratórios e Vigilâncias Epidemiológicas municipais no Estado.

Entre as ações apontadas pela publicação estão a comunicação imediata dos casos suspeitos por parte dos profissionais de saúde às respectivas secretarias municipais de Saúde e à Secretaria Estadual da Saúde (SES); a coleta de amostras para confirmação diagnóstica em laboratório; rastreamento e monitoramento dos contatos do caso suspeito; e isolar o paciente.

“Para acompanhar a situação da doença, a SES instituiu, nesta quarta-feira (10/8), o Centro de Operações de Emergências (COE) da monkeypox no Rio Grande do Sul”, informou o governo do Estado.

Até o momento, já foram confirmados 29 casos  no Rio Grande do Sul, distribuídos em 14 municípios, e há 64 em investigação.

De acordo com o último boletim da SES, Porto Alegre é a cidade gaúcha com o maior número de infecções (8). Também foram confirmados casos da doença em Campo Bom (1), Canoas (2), Caxias do Sul (3), Esteio (1), Garibaldi (1), Igrejinha (2), Novo Hamburgo (2), Montenegro (1), Passo Fundo (1), Santo Ângelo (1), São Marcos (1), Uruguaiana (1) e Viamão (3).

No Brasil, até o momento, são 2.415 casos confirmados e foi declarada transmissão comunitária da doença (quando não há como definir uma cadeia de transmissão do vírus).


Compartilhe: