Mostra Ecofalante 2022 exibe filmes de 27 países na Sala Redenção

As sessões no cinema da UFRGS são gratuitas, abertas ao público em geral. Os filmes serão exibidos até o dia 13 de setembro.

Compartilhe:
Cenas do A Escala Humana. Foto: Divulgação

 

Após realizar sua 11ª edição em São Paulo, a mostra “Ecofalante” chega a Porto Alegre no dia 25 de agosto, com filmes contemporâneos e históricos de viés socioambiental.

Fiel à sua missão de difundir as potencialidades da linguagem cinematográfica para sensibilizar e conscientizar as novas gerações acerca dessas questões, a programação prevê que as produções estejam presentes em um circuito universitário que inclui a Sala Redenção.

As sessões no cinema da UFRGS são gratuitas, abertas ao público em geral, e ocorrem até o dia 13 de setembro, de segunda a sexta-feira, às 15h e às 19h.

A Sala Redenção está localizada no campus central da UFRGS, com acesso mais próximo pela Rua Eng. Luiz Englert, 333, em Porto Alegre.

A presença da mostra na Sala Redenção faz parte do Programa Ecofalante Universidades, que tem como objetivo levar obras audiovisuais de impacto para dentro das instituições de ensino.

A programação também apresenta curtas-metragens cujos temas dialogam com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU para tornar as cidades mais inclusivas e sustentáveis.

As produções são assinadas por alunos de instituições de ensino brasileiras – ensino superior, médio, cursos técnicos e cursos livres de cinema. Curtas de São Paulo, Minas Gerais, Pernambuco, Rio de Janeiro, Bahia, Santa Catarina, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul participam do circuito.

MOSTRA ECOFALANTE NA SALA REDENÇÃO

BREAKPOINT: UMA OUTRA HISTÓRIA DO PROGRESSO

(dir. Jean Robert Viallet | França | 2018 | 98 min)

Uma história escrita pelos poderosos: lideranças políticas, industriais, químicos, lobistas e financiadores que, ao longo de dois séculos, modelaram o nosso modo de vida. Mas eis que surge uma nova era, trazendo consigo as sementes da mudança climática: o antropoceno.

25 de agosto | quinta-feira | 15h

A CAMPANHA CONTRA O CLIMA

(dir. Mads Ellesøe | Dinamarca | 2020 | 58 min)

Em 1988, o mundo se preparava para agir contra as mudanças climáticas. Mas então algo aconteceu. Algo que levou à crise climática para a qual o mundo despertou hoje.

26 de agosto | quinta-feira | 15h

OBRIGADO, CHUVA

(dir. Julia Dahr | Noruega, Reino Unido | 2017 | 87 min)

Durante cinco anos, um agricultor queniano usou sua câmera para registrar os impactos das mudanças climáticas na vida de sua família e de sua comunidade. Após ter a sua casa destruída por uma tempestade, ele decide formar um movimento para lutar contra os impactos dos novos fenômenos climáticos.

26 de agosto | quinta-feira | 19h

MESMO COM TANTA AGONIA

(dir. Alice Andrade Drummond | Brasil | 2018 | 20 min)

É aniversário da filha de Maria. No trajeto do trabalho para a festa, ela fica presa no metrô, que para de correr por alguns minutos.

MÃE DO MANGUE

(dir. Isabella Cruvinel Santiago, Jonas Torralba Batista | Brasil | 2018 | 17 min)

O documentário apresenta o modo de vida e trabalho das mulheres pescadoras da Rede de Mulheres de Comunidades Extrativistas Pesqueiras do Sul da Bahia, seu processo de empoderamento e os desafios decorrentes do desequilíbrio entre gêneros nesta atribuição de funções.

COR DE PELE

(dir. Larissa Barbosa | Brasil | 2019 | 4 min)
Cor de Pele se enuncia através de um poema, retratando questões que permeiam a vida de mulheres negras, como o machismo e o racismo, mas também a ancestralidade e a força que essas mulheres encontram em sua união.

ESTAMOS TODOS AQUI

(dir. Chica Santos Andrade, Rafael Mellim | Brasil | 2017 | 20 min)

Rosa nunca foi Lucas. Expulsa de casa, ela precisa construir seu próprio barraco. O tempo urge enquanto um projeto de expansão do maior porto da América Latina avança, não só sobre Rosa, mas sobre todos os moradores da Favela da Prainha.

29 de agosto | segunda-feira | 15h

SUBSTANTIVO FEMININO

(dir. Daniela Sallet, Juan Zapata | Brasil | 2016 | 60 min)

A história de duas pioneiras da militância ambiental no Brasil e no cenário internacional, Giselda Castro e Magda Renner, que eram donas de casa quando começaram sua luta em 1964, com ações de cidadania junto à população carente, na Ação Democrática Feminina Gaúcha.

29 de agosto | segunda-feira | 19h

OKOFÁ

(dir. Daniela Caprine, Mariana Bispo, Pedro Henrique Martins, Rafael Rodrigues, Thamires Case | Brasil | 2021 | 7 min)

Um corpo multiartista, transindígena e nordestino na cidade de São Paulo.

COMO RESPIRAR FORA D’ÁGUA

(dir. Júlia Favero, Victoria Negreiros | Brasil | 2021 | 16 min)

Na volta de um dos seus treinos de natação, Janaína é enquadrada por policiais. Já em casa e livre de perigo, ela enfrenta a relação com seu pai, também policial militar, com outros olhos.

NÃO ME CHAME ASSIM

(dir. Diego Migliorini | Brasil | 2020 | 16 min)
Daniela recebe a notícia de que sua tão aguardada cirurgia de redesignação de gênero foi antecipada, e não consegue pensar em outra coisa. Seu amante, Roberto, tenta dissuadi-la da operação, revelando uma controversa relação que desperta angústias e crises.

CRESCER ONDE NASCE O SOL

(dir. Xulia Doxágui l Brasil l 2021 l 13 min)

No Alto do Sol Nascente não tem praça, nem parque. As crianças que crescem onde o sol nasce, demarcam com as próprias mãos os territórios do brincar.

ELOS POSITIVOS

(dir. Eduardo Oliveira l Brasil l 2021 l 18 min)

Profissionais de saúde e pessoas que vivem com HIV contam suas histórias e experiências, relembrando elos e afetos que ajudaram a viver essa época de grandes dificuldades.

30 de agosto | terça-feira | 15h

BELEZA TÓXICA

(dir. Phyllis Ellis l Canadá l 2019 l 90min)

As companhias multi-bilionárias da indústria cosmética nos asseguram que não há razão para se preocupar com as substâncias químicas presentes em seus produtos. No entanto, uma ação judicial coletiva histórica contra a Johnson & Johnson e seu talco para bebês afirma que a multinacional sabia dos ingredientes cancerígenos mas nada fez.

30 de agosto | terça-feira | 19h

LIXO MUTANTE

(dir. Dani Minussi & Adriano Caron l Brasil l 2022 l 67min)

Lixo Mutante é um documentário que convida à reflexão sobre um urgente dilema ambiental, os resíduos. A obra conta com depoimentos de doze especialistas diretamente ligados à causa que apresentam possíveis caminhos para uma nova relação entre sociedade, indivíduo e o lixo.

31 de agosto | quarta-feira | 15h

A HISTÓRIA DO PLÁSTICO

(dir. Deia Schlosberg l EUA l 2019 l 95min)

O filme traça a rota do plástico que nos leva até a atual crise global de poluição, e revela como a indústria de petróleo e gás manipulou com sucesso a narrativa em torno dela.

31 de agosto | quarta-feira | 19h

TRASHED – PARA ONDE VAI NOSSO LIXO?

(dir. Candida Brady l Reino Unido l 2012 l 97min)

O filme nos apresenta os efeitos nocivos do lixo na cadeia alimentar e no meio ambiente através da poluição do nosso ar, terra e mar, assim como seus impactos em nossa saúde.

01 de setembro | quinta-feira | 15h

TRISTE OCEANO

(dir. Karina Holden l Austrália l 2017 l 76min)

Metade de toda a vida marinha foi perdida nos últimos 40 anos. Em 2050, haverá mais plástico do que peixes nos mares. Diferente do que imaginamos nos últimos séculos, o oceano não é um lugar de recursos ilimitados, imune à mudança e ao declínio.

01 de setembro | quinta-feira | 19h

O CUSTO DO TRANSPORTE GLOBAL

(dir. Denis Delestrac l Espanha / França l 2016 l 83min)

Noventa por cento dos bens que consumimos são fabricados em terras distantes e trazidos até nós por navios. O filme é uma audaciosa investigação sobre o funcionamento e a regulamentação dessa indústria, assim como os impactos socioambientais ocultos.

02 de setembro | quinta-feira | 15h

O CUSTO DO VÍCIO DIGITAL

(dir. Sue Williams l EUA l 2016 l 74min)

Uma miríade de novos dispositivos inunda o mercado prometendo ainda mais comunicação, entretenimento 24h por dia e informação instantânea. Mas essa revolução tem seu lado sombrio.

02 de setembro | sexta-feira | 19h

AMAZÔNIA SOCIEDADE ANÔNIMA

(dir. Estêvão Ciavatta l Brasil l 2019 l 72min)

Diante do fracasso do governo brasileiro em proteger a Amazônia, indígenas e ribeirinhos, em uma união inédita liderada pelo Cacique Juarez Saw Munduruku, enfrentam máfias de roubo de terras e desmatamento ilegal para salvar a floresta.

05 de setembro | segunda-feira | 15h

BR ACIMA DE TUDO

(dir. Fred Rahal Mauro l Brasil l 2021 l 55min I Livre)

Indígenas, pecuaristas, posseiros, quilombolas, empresários e políticos refletem à sua própria maneira os impactos da possível expansão da BR-163 floresta adentro. Mas este não é um filme sobre uma estrada. É um filme sobre os abismos que separam aqueles que compartilham de uma mesma terra.

05 de setembro | segunda-feira | 19h

ESPÓLIO DA TERRA

(dir. Kurt Langbein l Áustria l 2015 l 91min l Livre)

Terras cultiváveis são escassas e valiosas. O filme retrata tanto investidores globais, em seu discurso sobre economia sustentável e prosperidade, quanto suas contradições: despejos, trabalho escravo, fim dos pequenos proprietários.

06 de setembro | terça-feira | 15h

OS DESPOSSUÍDOS

(dir. Mathieu Roy l Canadá / Suíça l 2017 l 81min l 12 anos)

Uma jornada impressionista que nos revela a luta diária da classe camponesa faminta. Em nossa era de agricultura industrializada, os produtores de alimentos recebem menos do que em qualquer outra profissão.

06 de setembro | terça-feira | 19h

LADRÕES DO TEMPO

(dir. Cosima Dannoritzer l Espanha/França l 2018 l 52min l Livre)

Deixe a água, o petróleo e os metais raros de lado por um momento. Há um novo recurso cobiçado por todos: o (nosso) tempo. Companhias e redes sociais monetizam o nosso tempo sem o nosso conhecimento, fazendo dele o seu modelo de negócio, destruindo milhões de empregos e controlando nosso comportamento.

08 de setembro | quinta-feira | 15h

OECONOMIA

(dir. Carmen Losmann l Alemanha l 2020 l 89min l Livre)

Camada por camada, o filme revela como as regras do jogo capitalista contemporâneo pré-condicionam sistematicamente o crescimento, os déficits e as concentrações de riqueza.

09 de setembro | sexta-feira | 15h

A ESCALA HUMANA

(dir. Andreas M. Dalsgaard l Dinamarca l 2012 l 83min l Livre)
50% da população mundial vive em áreas urbanas. Até 2050 esse número chegará a 80%. Viver em uma megacidade é tanto encantador quanto problemático. Hoje enfrentamos escassez de petróleo, mudanças climáticas, solidão e diversos problemas de saúde devido ao nosso estilo de vida. Mas por que?

12 de setembro | segunda-feira | 15h

 

GIG – A UBERIZAÇÃO DO TRABALHO

(dir. Carlos Juliano Barros l Brasil l 2019 l 60min l 12 anos)

O avanço da chamada ‘Gig Economy’, fenômeno também conhecido no Brasil por ‘uberização’, vem despertando debates sobre a precarização e a intensificação do trabalho numa sociedade cada dia mais conectada.

12 de setembro | segunda-feira | 19h

GERAÇÃO Z

(dir. Liz Smith l RU, EUA l 2021 l 101 min l 10 anos)
Por meio de entrevistas com especialistas e das lentes da Web da Geração Z, o documentário explora como a revolução digital está impactando nossa sociedade.

13 de setembro | terça-feira | 15h

 

 


Compartilhe: