Após atos de violência, torcedores e organizadas do Grêmio recebem punição da Justiça

A decisão é do Juizado do Torcedor e Grandes Eventos do Foro da Central da Comarca de Porto Alegre

Compartilhe:

Dois torcedores gremistas e quatro torcidas organizadas do Grêmio, envolvidos nos episódios de violência nas arquibancadas da Arena do Grêmio, neste domingo (21), foram punidos pela Justiça. A decisão é do Juizado do Torcedor e Grandes Eventos do Foro da Central da Comarca de Porto Alegre.

Conforme a determinação do Juiz Marco Aurélio Aurélio Marins Xavier, os dois acusados estão proibidos de comparecer aos estádios onde o Grêmio atuar, independentemente do mando de campo. Nos horários dos jogos, eles deverão se apresentar na delegacia de polícia. Já as organizadas Geral do Grêmio, Rasta, Garra Tricolor e Torcida Jovem foram suspensas por 90 dias.

O magistrado destacou, ainda, que a falta de cuidado do Grêmio no processo de cadastramento dos torcedores das organizadas permitiu o ingresso e a participação de torcedores não cadastrados no episódio. Isso, segundo ele, força a interdição do espaço das organizadas enquanto vigorar a suspensão.

O magistrado também decidiu pelo cancelamento do acesso de qualquer integrante das Torcidas Organizadas por meio biométrico, o ingresso de faixas, bandeiras, e de qualquer uniforme que identifique as torcidas organizadas. Ele também proibiu qualquer instrumento de percussão no setor das organizadas, independentemente de usar ou não identificação das torcidas organizadas.

A respeito das penas, o Juiz sustentou que autorizar o reingresso dos envolvidos significa abrir a possibilidade de novas incidências, com riscos à ordem pública e para pessoas inocentes. “Os torcedores genuínos, que vêm aos estádios para torcer, não podem ser atingidos por estes atos de violência, de tamanha gravidade que, inclusive, submetem crianças a situações de risco, pela violência empregada. Assim, é necessária a suspensão do funcionamento, para evitar riscos à ordem pública, manifestados na reiteração dos atos de violência”, afirmou.

A briga ocorreu na partida entre Grêmio e Cruzeiro, válida pela Série B do Campeonato Brasileiro, entre os próprios torcedores gremistas. Na decisão, o magistrado destacou que, como o fato envolveu dezenas de torcedores, a investigação demandará trabalho de apuração das autorias.

“Outrossim, também a apuração dos envolvidos é outra necessidade premente, para que se possa responsabilizar todos os torcedores que protagonizaram os atos de barbárie, com o que as lideranças também devem estar comprometidas”, afirmou o magistrado.


Compartilhe: