Acendimento da Chama Crioula dá início aos festejos da Semana Farroupilha

Cavaleiros percorrerão o Rio Grande do Sul levando a chama para as 30 regiões tradicionalistas.

Compartilhe:
Foto: Prefeitura de Canguçu / Divulgação

Cerca de 1,1 mil cavaleiros se reuniram neste sábado (13), em Canguçu, para a cerimônia de distribuição da Chama Crioula, que ocorreu no Parque Turístico Nossa Senhora da Conceição. Os cavaleiros percorrerão o Estado levando a chama para as 30 regiões tradicionalistas.

Com o tema “Etnias do gaúcho: Rio Grande, terra de muitas terras”, os festejos neste ano consagram a diversidade étnica e cultural do Rio Grande do Sul. A música tema “Num só lugar”, composta por Fernando Espíndola e Thomas Facco, enaltece o Rio Grande como um local que reúne traços e características do mundo todo.

A identidade visual das festividades, desenvolvida pelo artista Mauro Vila Real, traz o aperto de mãos como símbolo. O patrono é Adair Rubim de Freitas, poeta, músico e compositor com mais de 50 anos de carreira.

A chama foi gerada na sexta-feira (12), abrindo a programação dos Festejos Farroupilhas 2022. Essa tradição começou em 1947, quando os tradicionalistas Paixão Cortes, Cyro Ferreira e Fernando Vieira retiraram uma centelha do fogo simbólico da pátria e acenderam o primeiro candeeiro crioulo, em Porto Alegre, representando a coragem, a união dos povos e o amor do gaúcho pela sua terra.

A 73ª Geração da Chama Crioula foi organizada pela 21ª Região Tradicionalista do MTG (Movimento Tradicionalista Gaúcho). O evento de sexta (12) contou com a apresentação do espetáculo Liberdade pelas asas do gavião, de criação e direção de Rinaldo Souto, que homenageou Joaquim Teixeira Nunes, conhecido como coronel Gavião, líder dos lanceiros negros farrapos, natural de Canguçu.


Compartilhe: