Seis são condenados por morte de policial militar em São Gabriel no ano de 2016

O grupo respondia aos crimes de homicídio qualificado por motivo torpe, meio cruel e usando recurso que dificultou a defesa da vítima, além de corrupção de menores.

Compartilhe:

Seis criminosos envolvidos na morte do policial militar policial militar Bento Júnior Teixeira Borges, 36 anos, foram condenados a penas entre 13 e 21 anos de prisão. O caso ocorreu em São Gabriel, na Fronteira Oeste, no dia 25 de dezembro de 2016.

O grupo respondia aos crimes de homicídio qualificado por motivo torpe, meio cruel e usando recurso que dificultou a defesa da vítima, além de corrupção de menores.

O brigadiano estava abastecendo o carro em um posto de combustíveis por volta das 6h30 da manhã do domingo de Natal, quando tentou apartar uma briga entre integrantes de uma mesma facção. O soldado tentou parar as agressões, e realizou um disparo contra um dos criminosos, mas foi emboscado, espancado e morto. Além do policial, um adolescente de 16 anos também morreu na briga generalizada.

Todos os condenados cumprirão penas em regime inicial fechado. Adriel Gomes Corrêa e Alan Costa Rieffel foram condenados cada um a 21 anos e 4 meses de reclusão mais 20 dias-multa; Robison Carvalho Pereira e Paulo César dos Santos Ferrer foram, ambos, condenados a 22 anos, 11 meses e 20 dias de prisão, mais 20 dias-multa; Anderson Martins Pedroso a 21 anos e 4 meses de prisão e Sílvio Jobim D’ Ávila a 13 anos e 4 meses de prisão.

Outro júri sobre o caso está previsto para ser realizado no dia 24 de agosto, onde mais quatro réus devem passar por julgamento. Além desses dez responsabilzados criminalmente, responderam pela morte do policial Bento mais nove menores de idade. Eles cumpriram medidas socioeducativas após serem responsabilizados por ato infracional equivalente ao de homicídio.


Compartilhe: