Após fiscalizar estabelecimentos, ação apreende mais de 329 quilos de alimentos em Porto Alegre

Os estabelecimentos comerciais ficam na zona sul de Porto Alegre.

Compartilhe:

A Equipe de Vigilância de Alimentos da Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre e a Delegacia do Consumidor realizaram vistorias em dois estabelecimentos comerciais na Capital nesta sexta-feira (22).

Segundo o Prefeitura de Porto Alegre, as ações ocorreram nos bairros Ponta Grossa e Restinga. Foram apreendidos 329,8 quilos de alimentos impróprios para consumo humano.

A primeira apreensão ocorreu em uma padaria e confeitaria. A vistortia foi motivada por uma ocorrência policial em que o denunciante relata intoxicação alimentar após consumo de alimento.

Conforme a prefeitura, no local foram encontradas salsichas, presuntos e carne moída com data de validade vencida, caldas doces mal acondicionadas e sem identificação. Também não havia kit para higienização de mãos de manipuladores.

A operação resultou na apreensão de 66 quilos de alimentos impróprios ao consumo humano.

Denúncia

Uma denúncia ao 156, referente ao comércio de carnes vencidas, estragadas e mau cheiro, levou as equipes a um minimercado na Vila Castelo-Restinga.

De acordo com a prefeitura, carnes sem procedência comprovada e com características alteradas, massas de pão mal acondicionadas e alimentos com data de validade vencida estavam no local.

No estabelecimento comercial, não havia portas na área de produção da padaria e nem kit para higienização de mãos de manipuladores.

Também foram localizados recortes de carne congelada destinados à indústria de alimentação animal, que eram moídos e comercializados como guisado. A equipe apreendeu mais de 263 quilos de alimentos impróprios ao consumo humano.

A Prefeitura de Porto Alegre não divulgou os nomes da padaria e confeitaria nem do minimercado que foram fiscalizados. Segundo a prefeitura, os reponsáveis pelos dois estabelecimentos foram autuados e orientados para as adequações. Eles têm prazo de 15 dias.

“Denúncias sobre comercialização de alimentos inadequados para consumo, ou de suspeitas, devem ser feitas à EVA via serviço 156 da prefeitura”, disse.

Um dos locais fiscalizados. Foto: Divulgação SMS/PMPA

Compartilhe: