Número de atendimentos por queimaduras cresce 24% no HPS de Porto Alegre

A maioria dos casos de queimaduras poderia ser evitada se a população fosse mais cuidadosa.

Compartilhe:

O HPS (Hospital de Pronto-Socorro) de Porto Alegre registrou um aumento de 24% no número de atendimentos por queimadura nos cinco primeiros meses do ano em relação a 2021. De acordo com o coordenador de enfermagem da UTI, Tiago Fontana, a maioria das queimaduras poderia ser evitada.

De janeiro a maio, foram 841 intercorrências, divididas em 87 internações e 754 atendimentos ambulatoriais, com seis óbitos. No ano anterior, ocorreram 680 registros, dos quais 76 internações e 604 atendimentos ambulatoriais, com oito óbitos. Em razão do Dia Nacional de Luta contra Queimaduras, lembrado nesta segunda-feira, 6, a instituição aproveita para destacar a importância do cuidado e da prevenção para evitar acidentes desse tipo.

Fontana explica que usar de cautela evitaria parte das ocorreências. Os acidentes mais comuns são com líquidos inflamáveis, que podem causar explosão, além de escaldamento com líquidos quentes, principalmente em crianças.

A utilização de aquecedores elétricos também exige cuidados. “Antes de ligar, acender ou ativar aquecedores, estufas, lençóis térmicos, lareiras e outros utensílios, a pessoa deve ficar atenta e observar cada manual de instruções”, afirma, já que a utilização de tais equipamentos aumenta com a chegada do frio no Estado. A orientação é que sempre sejam adquiridos produtos certificados e com garantia.

Conforme o Ministério da Saúde, as queimaduras estão entre as condições mais destrutivas no atendimento à saúde. Além de afetarem adultos e crianças, costumam causar dor, longos períodos de internação, diversas sequelas e, em casos mais graves, até a morte. Atingem pessoas de qualquer faixa etária, mas podem ser evitadas, pois 77% acontecem em casa e 40% com crianças de até 10 anos. Cerca de 1 milhão de pessoas são vítimas desse acidente todos os anos.

Dados de atendimento a queimados no HPS (janeiro a maio):

2022 | atendimentos ambulatoriais: 754; internações: 87; óbitos: 06
2021 | atendimentos ambulatoriais: 604; internações: 76; óbitos: 08
2020 | atendimentos ambulatoriais: 736; internações: 85; óbitos: 05

Como prevenir queimaduras:

  • não manipule álcool próximo a objetos inflamáveis;
  • não utilize álcool líquido diretamente sobre o fogo;
  • observe atentamente o manual de instruções de equipamentos do tipo lareiras ecológicas;
  • evite utilizar instrumentos improvisados de aquecimento;
  • investigue com frequência vazamentos de gás;
  • mantenha crianças longe da cozinha durante o preparo dos alimentos e sempre direcione o cabo das panelas para a área do fogão;
  • teste a água do banho com o dorso da mão antes de molhar a criança;
  • mantenha objetos aquecidos e produtos de limpeza longe do alcance de crianças;
  • use protetor em todas as tomadas elétricas da casa;
  • mantenha cabos e alças de panela de cozinha em bom estado;
  • ao acender um fósforo, mantenha o palito longe do rosto para não atingir o cabelo ou a sobrancelha;
  • ao acender uma vela, observe se está longe de produtos inflamáveis, como botijões de gás, solventes ou tecidos;
  • não manipule álcool, querosene, gasolina ou outros líquidos inflamáveis perto do fogo. Esses produtos devem ser guardados longe do alcance das crianças;
  • em queimaduras elétricas, retire o fio da tomada ou desligue a energia geral;
  • evite fumar dentro de casa, principalmente deitado;
  • em festas juninas, dê preferência a fogueiras pequenas, que só devem ser acesas longe de matas, de depósitos de papel, de produtos inflamáveis ou ventanias.

Compartilhe: