Novo Hamburgo lidera número de óbitos por dengue no RS

Os registros de 2022 são os maiores já registrados na série histórica da dengue no Rio Grande do Sul. 

Compartilhe:

A SES (Secretaria da Estadual da Saúde) atualizou nesta quinta-feira (23) o número de mortes por dengue no Rio Grande do Sul em 2022.

Nesta quinta, a SES confirmou mais dois óbitos, em residentes de Rondinha e Uruguaiana. Com a atualização, o Estado registra 59 mortes pela doença, Novo Hamburgo é a cidade que lidera.

Segundo a SES, os casos confirmados (entre autóctones, ocorridos dentro do Estado, e importados) já são quase 46 mil.

“A secretaria alerta que a prevenção deve ser feita eliminando locais com água parada, onde o mosquito transmissor, o Aedes aegypti, se reproduz”, ressaltou a SES

Tanto em relação aos óbitos quanto aos casos, os registros de 2022 são os maiores já registrados na série histórica da dengue no Rio Grande do Sul.

Em 2021, encerrou com 10 mil casos e 11 óbitos, enquanto em 2020 foram três mil casos e três óbitos. Antes desses, os únicos anos com óbitos por dengue no Estado foram em 2015 e 2016, com duas e uma morte respectivamente.

Segundo a SES, 22 pessoas estão neste momento internadas no Rio Grande do Sul, sendo três delas em leitos de UTI (todos adultos), em virtude da doença.

Cidades com óbitos por dengue confirmados em 2022:

  • Ametista do Sul: 1
  • Boa Vista do Buricá: 2
  • Cachoeira do Sul: 2
  • Chapada: 1
  • Condor: 1
  • Cristal do Sul: 1
  • Dois Irmãos: 1
  • Erechim: 1
  • Estância Velha: 1
  • Horizontina: 5
  • Igrejinha: 6
  • Jaboticaba: 3
  • Lajeado: 4
  • Nova Candelária: 1
  • Nova Hartz: 1
  • Novo Hamburgo: 8
  • Novo Machado: 1
  • Parobé: 2
  • Porto Alegre: 4
  • Putinga: 1
  • Rondinha: 4
  • Santa Rosa: 1
  • São Leopoldo: 3
  • Sapucaia do Sul: 1
  • Seberi: 1
  • Uruguaiana: 1
  • Viamão:1

Compartilhe: