Fepam investiga aparecimento de poeira em bairros de Canoas e Esteio, na região metropolitana

A Prefeitura de Canoas afirma que houve vazamento de material particulado da Refap, na madrugada deste domingo (19).

Compartilhe:
Material particulado atingiu Canoas e Esteio, segundo a Fepam. Foto: Emergência Fepam / Divulgação

A FEPAM (Fundação Estadual de Proteção Ambiental) está investigando o aparecimento de material particulado, parecido com uma poeira neste domingo (19) em municípios da região metropolitana de Porto Alegre. O caso foi registrado em bairros dos municípios de Canoas e Esteio.

A Prefeitura de Canoas, uma das cidades atingidas, afirmou que houve vazamento de material particulado da Refap (Refinaria Alberto Pasqualini), na madrugada deste domingo (19). A refinaria de petróleo confirmou, informando “que houve escape pontual de catalisador, durante um procedimento operacional”.

Bairros como Ozanan, Parque Universitário e São José, em Canoas, foram mais afetados. Também há registro de queda da fuligem em Esteio, segundo a Fepam.

Amostras do pó cinza foram recolhidas para análise e posterior identificação da origem pela equipe de Emergências da Fepam. Técnicos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Canoas estão auxiliando nas investigações da origem.

O objetivo é identificar o material vazado e “criar soluções rápidas e eficazes para o caso”, visando “proteger a saúde das pessoas e amenizar possíveis danos ambientais”. No entanto, a Refap diz que o material particulado não é tóxico.

O que diz a Refap

“A Petrobras informa que houve escape pontual de catalisador, durante um procedimento operacional, em uma das unidades da Refinaria Alberto Pasqualini (Refap), que está em processo de partida. A substância que foi emitida no ar não é tóxica e já foi contida.

A Petrobras notificou o órgão ambiental competente e os grupos de moradores, e está providenciando a limpeza das proximidades. Não houve impacto à produção das demais unidades da refinaria”.


Compartilhe: