Vereadores de Porto Alegre aprovam lei que proíbe uso de linguagem neutra em escolas da Capital

De acordo com o texto aprovado, as escolas devem usar a “língua portuguesa de acordo com as normas e orientações legais de ensino”.

Compartilhe:

A Câmara de Vereadores de Porto Alegre aprovou nesta quarta-feira (4) o projeto de lei que proíbe o uso da chamada linguagem neutra em escolas da Capital.

De acordo com o texto aprovado, as escolas devem usar a “língua portuguesa de acordo com as normas e orientações legais de ensino”.

“As normas e orientações são estabelecidas com base nas orientações nacionais acerca de educação, nos termos da Lei Federal nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, pelo Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (Volp) e pela gramática elaborada nos termos da reforma ortográfica ratificada pela comunidade dos países de língua portuguesa (CPLP)”, ressaltou.

A proposta é de autoria das vereadoras Fernanda Barth (PSC), Comandante Nádia (PP) e Psicóloga Tanise Sabino (PTB) e dos vereadores Alexandre Bobadra (PL), Ramiro Rosário (PSDB), Jessé Sangalli (Cidadania) e Hamilton Sossmeier (PTB).

De acordo com a justificativa dos autores do projeto, “a dita linguagem neutra” propõe que troquemos a vogal marcada, substituindo. por exemplo, os alunos e as alunas por “artimanhas linguísticas” como xs alunxs ou @s alun@s.

Eles ressaltam que a linguagem neutra torna a língua impraticável fora do papel, já que os “x” e “@” são “impronunciáveis”. “A linguagem ‘neutra’ buscaria solucionar esse problema. Obviamente, é uma noção extremamente equivocada”, afirmam.

 


Compartilhe: