Simulado de acidente integra equipes de resgate, concessionária e estudantes de medicina em Santa Cruz do Sul

A atividade proposta pela Concessionária Rota de Santa Maria, do Grupo Sacyr, é alusiva ao Movimento Maio Amarelo.

Compartilhe:

Uma simulação de acidente rodoviário foi simulada nesta sexta-feira (20), na RSC-287, em Santa Cruz do Sul, na região do Vale do Rio Pardo. A atividade proposta pela Concessionária Rota de Santa Maria, do Grupo Sacyr, é alusiva ao Movimento Maio Amarelo.

Além da ação de conscientização ao público, os participantes puderam entender como aprimorar o atendimento de vítimas de acidentes. Além de equipes de socorro da concessionária, participaram da ação paramédicos do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), militares do Corpo de Bombeiros de Santa Cruz do Sul, policiais do CRBM (Comando Rodoviário da Brigada Militar, agentes da Guarda Municipal e da Transul Emergências Médicas.

Credito: Ana Cristina dos Santos / Four Comunicação

O movimento, que chamou a atenção da comunidade assim que teve início, às 9h45. Acadêmicos do Curso de Medicina da Unisc (Universidade de Santa Cruz do Sul), que integram a Liga do Trauma, atuaram como figurantes, no papel das vítimas. A simulação tinha pessoas feridas gravemente, com lesões moderadas e leves.

Colaboradores da concessionária também desempenharam as atribuições de vítima, familiares dos feridos e curiosos; além da imprensa local, que fez a cobertura jornalística da ação, bastante próxima à realidade.

De acordo com o coordenador de Operações da Rota de Santa Maria, Ricardo Abreu, o evento alcançou seu principal objetivo, que foi integrar as equipes de socorro que atuam juntas na rodovia. “Acreditamos que estas ações possam qualificar ainda mais os atendimentos, agilizar os processos e contribuir para salvar mais vidas no atendimento de acidentes reais”, destacou.

Conforme Abreu, após a instalação do cenário do acidente, a operação transcorreu como um acidente real, com comunicação via 0800-1000-287 e alertas para equipes via CCO (Centro de Controle Operacional).

Credito: Roger Eduardo / Four Comunicação

Compartilhe: