Ouça no Meio-Dia: as ações de combate contra a exploração infantojuvenil e mais notícias da manhã

Confira as principais notícias da manhã desta sexta-feira, 13 de maio de 2022, no podcast Meio-Dia.

Compartilhe:

Ouça o podcast Meio-Dia também em outras plataformas:

Uma massa de ar seco e frio deixa o tempo firme e com temperaturas baixas no Rio Grande do Sul nesta sexta-feira. Além de geada, em Cambará do Sul, na Serra, foram registradas mínimas de 4ºC em Vacaria, 6ºC em Passo Fundo, 7ºC em Bagé, e 9ºC em Porto Alegre. Não existe, porém, a previsão de chuva nesta sexta no Estado. Amanhã, chove na Fronteira Oeste desde a madrugada. Depois, as precipitações avançam para as demais regiões ao longo do dia. Existe a chance de chuva forte, acompanhada de rajadas de vento e eventual queda de granizo entre o noroeste e o norte gaúcho. A tendência é que as chuvas ainda se mantenham na metade leste no domingo, devido ao avanço lento desta frente fria.

Para os próximos dias, segundo a Climatempo, essa nova frente fria que avança pelo Sul do Brasil e provoca chuva no Rio Grande do Sul, virá acompanhada de um ciclone extratropical e um por uma intensa massa de ar polar, que será a responsável por derrubar as temperaturas de forma bastante expressiva. O ciclone no oceano ajuda a levar um pouco de umidade para o continente. A junção desta umidade com o ar frio pode provocar neve ou algum outro tipo de precipitação de inverno no Rio Grande do Sul, principalmente na Serra. Conforme a Climatempo, o frio mais intenso está previsto para o período que vai de terça-feira até quinta-feira da próxima semana.

As forças da segurança pública do Rio Grande do Sul realizam, desde o dia dois de maio, uma ofensiva contra a exploração infanto-juvenil no Estado. Desde o início das ações, 33 pessoas já foram presas e uma vítima de exploração sexual foi resgatada. Na última terça-feira, a operação prendeu uma mulher de 35 anos pela prática de exploração sexual infantojuvenil e fornecimento de drogas à adolescente. A suspeita aliciou sua filha, de 14 anos, que fazia programas e usava drogas, obrigada pela mãe. As atividades criminosas teriam ocorrido em fevereiro e março deste ano. A suspeita também se encontrava foragida do sistema prisional e já respondeu inquérito por fato semelhante. No dia seguinte, a Polícia Civil, com apoio da Brigada Militar e do Instituto-Geral de Perícias, cumpriu sete mandados de busca e apreensão na Capital e um em Gravataí de combate ao armazenamento, produção e compartilhamento de pornografia infantojuvenil na Internet. As atividades desta quinta-feira também se integraram à Operação Parador 27, coordenada pelo Ministério da Justiça e da Segurança Pública para fomentar em todos os Estados a realização de ações em alusão ao Maio Amarelo, mês dedicado ao alerta sobre o combate à exploração sexual infantojuvenil.

A Secretaria Estadual da Saúde registrou ontem mais 11 mortes por dengue no Estado. Agora são 27 óbitos pela doença em território gaúcho em 2022, o que significa mais do que o dobro do número registrado no ano passado, quando houve 11 óbitos no Estado. Mais de 21 mil casos ocorridos dentro do RS, chamados de autóctones, já foram confirmados. Esses são os maiores números de casos e de óbitos já registrados no Rio Grande do Sul em um ano. A maioria dos óbitos são de idosos. Das 27 mortes, 19 foram de pessoas com 70 anos ou mais. A Secretaria da Saúde decretou no último dia 27 alerta máximo contra a doença. A Secretaria reforça a necessidade de medidas de prevenção. A principal delas é a eliminação de locais com água parada, pois elas servem de pontos para o desenvolvimento das larvas do mosquito.

O público-alvo da campanha de vacinação contra a gripe foi ampliado em todo o Rio Grande do Sul. A partir desta sexta-feira, crianças de 5 a 9 anos e os adultos com 55 anos ou mais podem ser imunizados. Segundo a Secretaria Estadual da Saúde, estes dois novos grupos concentram os maiores coeficientes de internações entre os não elegíveis para a campanha e necessitam de proteção. Neste ano, o Rio Grande do Sul já registrou 272 casos de internações, sendo 41 óbitos, em virtude da Influenza. A vacina Influenza trivalente utilizada pelo SUS é produzida pelo Instituto Butantan. O imunizante será eficaz contra as cepas H1N1, H3N2 e tipo B. A campanha nacional de vacinação contra a Influenza ocorre até 3 de junho.


Compartilhe: