Operação investiga duas quadrilhas que praticam roubos de veículos em Porto Alegre

São investigadas duas quadrilhas especializadas em roubos de veículos. Uma delas invade revendas e a outra ataca motoristas em ruas de Porto Alegre.

Compartilhe:
Mandados da Operação Revenda. Foto: Raquel Barcellos / Polícia Civil

A Polícia Civil e a Brigada Militar deflagraram, na manhã desta quarta-feira (11), “a operação Revenda” para combater duas quadrilhas especializadas em roubos de veículos. Uma delas invade revendas e subtrai os veículos que se encontram em exposição em Porto Alegre. A outra age com violência e usa armas de fogo para abordar motoristas e praticar o mesmo tipo de crime.

As ações foi organizada pela DRV (Delegacia Especializada na Repressão aos Crimes de Roubo de Veículos), do DEIC (Departamento Estadual de Investigações Criminais) e contam com apoio do Grupo de Roubo de Veículos da Brigada Militar.

Foram cumpridas 16 ordens judiciais, sendo 8 mandados de prisão temporária e 8 de busca e apreensão, cumpridos nas cidades de Porto Alegre, Alvorada, Viamão, Gravataí, Guaíba, Encruzilhada do Sul e Pareci Novo.

Os dois inquéritos paralelos e não associados entre si apuram a prática dos crimes de associação criminosa, roubo de veículo, porte ilegal de arma de fogo, receptação de carros roubados e adulteração de placas dos veículos.

Conforme a Polícia Civil, dez pessoas foram presas, sendo oito temporariamente, um em flagrante por posse de arma de fogo com numeração suprimida e um foragido capturado. Foram apreendidos uma arma, munições e vários celulares. Todas as prisões são ligadas aos roubos contra proprietários de veículos abordados na rua.

Roubos em revendas

A investigação teve início há cerca de um ano. Os policiais foram informados da existência de uma quadrilha especializada no cometimento de roubos de veículos que se encontram à venda em revendas situadas em Porto Alegre. A quadrilha deu prejuízo de mais de R$ 700 mil às vítimas.

O primeiro crime do tipo ocorreu em 26 de novembro de 2020, quando pelo menos quatro homens armados com pistolas adentraram uma revenda localizada na Avenida Sertório. Os ladrões amarraram os funcionários e roubaram um Toyota Corolla, uma Renaul Duster e um Ford Fiesta, além de quantias de dinheiro em espécie, telefones celulares, relógios, notebook, cartões de crédito e demais pertences pessoais das vítimas.

Em fevereiro de 2021, a mesma quadrilha invadiu uma revenda situada no bairro Santana da mesma forma. Funcionários foram amarrados e roubados. Os ladrões fugiram levando um funcionário como refém, o qual foi liberado minutos depois já na avenida Assis Brasil. Dinheiro da revenda também foi subtraído.

Poucos dias depois, houve o terceiro assalto. Uma revenda de automóveis localizada na Avenida Assis Brasil foi alvo da mesma quadrilha no dia 12 de fevereiro de 2021, quando ao menos três homens armados adentraram o local e, após amarrarem os funcionários, fugiram, levando consigo quatro veículos. Dois deles eram modelo Jeep Renegade, além de uma Fiat Toro e uma Fiat Doblò. Também foram roubados dinheiro e pertences das vítimas, como celulares, notebooks, relógios, alianças, entre outros.

Após os registros policiais sobre os roubos, os policiais civis buscaram identificar os ladrões. De posse das identidades, foram solicitadas à Justiça ordens de prisão e de busca e apreensão. Embora havendo parecer favorável exarado pelo Ministério Público, as prisões foram indeferidas pelo Poder Judiciário. Nenhum dos quatro investigados foi preso na ação.

Roubo a mão armada em Porto Alegre

Além dessa investigação, também estão sendo executadas hoje medidas cautelares de prisões temporárias contra sete investigados pela prática de roubo de veículos. Após troca de informações entre a Brigada Militar e a Polícia Civil, os policiais identificaram diversos suspeitos que encomendam ou praticam roubos de veículos em variados bairros de Porto Alegre.

Os crimes ocorrem durante o dia ou à noite, sempre mediante o emprego de armas de fogo municiadas. Os presos possuem antecedentes de roubos de veículos, receptações de carros roubados, adulteração de sinais veiculares identificadores, tráfico de drogas, homicídio qualificado tentado e porte ilegal de armas de fogo.

Oito integrantes do esquema criminoso foram presos em cumprimento aos mandados de prisão temporária, segundo a Polícia Civil. Além deles, foi preso um indivíduo por posse de arma de fogo com numeração suprimida. Um outro homem, que responde por homicídio, também foi preso após romper a tornozeleira eletrônica.


Compartilhe: