Homem morre durante registro de ocorrência no Palácio da Polícia, em Porto Alegre

Ele estava realizando o registro de uma ocorrência quando passou mal. O SAMU foi acionado, mas o homem não resistiu.

Compartilhe:
Homem morreu durante atendimento no Palácio da Polícia, em Porto Alegre. Foto: reprodução de vídeo / RBS TV

Um homem morreu dentro do Palácio da Polícia, em Porto Alegre, na madrugada desta quinta-feira (26). Ele estava realizando o registro de uma ocorrência na sede adminstrativa da polícia judiciária gaúcha, que abriga várias delegacias.

Segundo a polícia, o homem era um empresário que prestava serviços como operador logístico para um aplicativo de entregas. Ele era responsável pela gestão do trabalho de motoboys e pelo repasse do lucro do mês.

No entanto, por volta das 22h da noite de quarta-feira (25), ele foi abordado por cerca de 40 entregadores na avenida Bento Gonçalves, zona leste da Capital. Os motoboys cobravam o homem por uma suposta falta de pagamentos.

Durante a abordagem, os ânimos se exaltaram e o veículo onde o empresário estava foi danificado, tendo vidros e parabrisas quebrados. Segundo a ocorrência policial, uma guarnição da Brigada Militar interviu na situação.

O empresário e os motoboys foram conduzidos até o Palácio da Polícia para registro de ocorrência na 2ª DPPA (Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento). Segundo a BM, o homem estava com a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) vencida e o veículo não era de sua propriedade.

O operador logístico fez um registro por causa dos danos sofridos no veículo. Os entregadores, por sua vez, registraram pela falta de pagamento.

Ainda durante o atendimento na Delegacia de Polícia, o empresário teria passado mal na sala de espera. O SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi chamado, mas ele veio a óbito dentro do prédio. Por causa da morte, os atendimentos foram suspensos na 2ª DPPA até a realização de uma perícia por parte do IGP (Instituto-Geral de Perícias).

O local já foi liberado após encaminhamento do corpo para o DML (Departamento Médico Legal). A identidade do operador logístico não foi divulgada. A causa da morte ainda está sendo investigada, mas a principal suspeita é de mal súbito. A polícia vai apurar o caso.


Compartilhe: