Agentes capturam 28 escorpiões amarelos em ação no Centro de Porto Alegre

Os agentes de combate a endemias percorreram o entorno da Praça Dom Feliciano, no Centro Histórico, e em um trecho da avenida Salgado Filho. 

Compartilhe:

Uma ação da Diretoria de Vigilância em Saúde, da Secretaria Municipal de Saúde e de profissionais do DMAE (Departamento Municipal de Água e Esgotos) capturou 28 escorpiões amarelos no Centro de Porto Alegre na noite desta terça-feira (24). Os agentes de combate a endemias percorreram o entorno da Praça Dom Feliciano e em um trecho da avenida Salgado Filho.

O número de animais encontrados e coletados foi considerado expressivo pelo gerente da Unidade de Vigilância Ambiental da SMS, Alex Lamas. Para ele, o número de capturas é proporcional ao das visualizações registradas na região. Em 2021, foram notificadas 104 visualizações do animal na cidade, com maior ocorrência no Centro Histórico, seguido do bairro Anchieta.

“Neste ano, houve um acidente no Centro Histórico e, a partir de notificação ao serviço 156, foram realizadas 143 capturas de escorpião amarelo, no Centro, Mário Quintana, Passo D’Areia e Menino Deus”, explica Lamas.

Em caso de visualização, a Prefeitura recomenda fazer contato pelo serviço 156 (telefone, APP 156+POA ou meio eletrônico, neste endereço. É importante que o requerente informe o local exato da ocorrência e meio de contato.

O que fazer em caso de picada?

Diante da suspeita ou confirmação do acidente (quando uma pessoa é picada pelo escorpião), a recomendação é levar a vítima o mais rapidamente possível para o Hospital de Pronto Socorro, único local da cidade com o soro escorpiônico. O escorpião amarelo tem veneno altamente tóxico, capaz de levar a óbito a vítima – especialmente crianças, pessoas idosas ou com comorbidades – em poucas horas. A picada é dolorosa, provoca dor intensa no local afetado, e o veneno se dispersa por todo o corpo.

Características e cuidados

Os escorpiões amarelos se alimentam de baratas, por isso é importante manter a limpeza em residências, comércios e vias visando à diminuição da população do animal. Sua biologia tem uma peculiaridade: não existem machos entre a espécie. As fêmeas vivem em média quatro anos e se reproduzem pelo processo chamado partenogênese.

A reprodução ocorre, em média, duas vezes por ano, dando origem a 20 filhotes por vez, chegando a 160 filhotes durante a vida. Os filhotes recém-nascidos sobem no dorso da fêmea e ali permanecem. O período entre o nascimento e a dispersão dos filhotes varia bastante. Para Tityus serrulatus (nome científico do escorpião amarelo) é de cerca de 14 dias.

Cuidados preventivos em regiões com confirmação de escorpião amarelo:

  • Verifique calçados, roupas, toalha e roupas de cama antes de usá-los;
  • Limpe caixas de gordura e ralos de banheiro e de cozinha;
  • Mantenha camas e berços afastados da parede;
  • Evite que lençóis toquem no chão;
  • Feche frestas nas paredes, móveis e rodapés para que não sirvam de esconderijo para os escorpiões;
  • Use telas nas aberturas dos ralos, pias e tanques;
  • Mantenha os ambientes sem entulhos e sem lixo.

Compartilhe: