Detentos são transferidos para a PASC após homicídios em Porto Alegre

Ao menos 25 mortes relacionadas com disputas por pontos de tráfico de drogas foram registrados na capital gaúcha desde o início do ano.

Compartilhe:
Foto: Jonathan Silva / Imprensa Susepe

Dez criminosos que são apontados como líderes de facções criminosas que atuam em Porto Alegre foram transferidos na manhã desta quarta-feira (13). A ação é uma resposta aos homicídios que vêm ocorrendo no conflito entre grupos criminosos em Porto Alegre. Essas lideranças estão sendo apontadas como responsáveis pelo comando desses crimes. Ao menos 25 mortes relacionadas com disputas por pontos de tráfico de drogas ocorreram na capital gaúcha desde o início do ano.

Os presos estavam na Cadeia Pública de Porto Alegre, mais conhecido como Presídio Central, na Penitenciária Estadual de Porto Alegre e na Penitenciária Modulada Estadual de Charqueadas. Os transferidos foram levados para a PASC, a penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas. O objetivo é bloquear o contato deles com os criminosos na rua. As forças de segurança pública examinam uma forma de criar um regime disciplinar diferenciado, para manter esses presos em maior isolamento em relação aos demais. 

No Central, a Brigada Militar realizou revista em três pavilhões, extraindo as lideranças, que foram removidas para a PASC pelo GAES (Grupo de Ações Especiais da Susepe). Na Penitenciária de Porto Alegre, a ação contou com a participação do Grupo de Intervenção Regional da Susepe da 10ª Região e, na PMEC, agentes operacionais da Susepe de toda a região participaram.

Conforme a Polícia Civil os criminosos teriam ordenado atentados contra rivais de dentro do Central. Vinte e cinco pessoas morreram desde o início do ano na disputa por pontos de tráfico de drogas.

Foto: Jonathan Silva / Imprensa Susepe

Ação é conjunta entre forças de segurança

A operação desta quarta-feira é coordenada pela SSP (Secretaria da Segurança Pública) e SJSPS (Secretaria de Justiça e Sistemas Penal e Socioeducativo). Participam a Brigada Militar, a Polícia Civil e a Superintendência dos Serviços Penitenciários.

O secretário de Justiça e Sistemas Penal e Socioeducativo, Mauro Hauschild, ressaltou que uma estratégia bem elaborada pelas Secretarias, com suas vinculadas e suas estruturas de inteligência, resultou em êxito na movimentação dessas pessoas privadas de liberdade que são apontadas como as principais lideranças que estavam contribuindo para o aumento da violência na Capital.

“Acreditamos que esse esforço, a partir das ações integradas do RS Seguro, sob coordenação do nosso governador, Ranolfo Vieira Júnior, é um passo importante para o retorno da paz e da tranquilidade da sociedade porto-alegrense e gaúcha”, disse Hauschild.

O secretário da Segurança Pública, coronel Vanius Cesar Santarosa, enfatizou que essa é mais uma ação conjunta que reafirma o compromisso das forças de segurança com as premissas do RS Seguro, de agir com integração e inteligência a partir dos avanços proporcionados pelo investimento qualificado feito nos últimos anos.

“Seguiremos firmes e unidos no combate à criminalidade, em especial os homicídios, adotando todas as medidas possíveis para coibir a ação dessas organizações criminosas. Esse trabalho conjunto com a SJSPS é fundamental para aprimorarmos cada vez mais o rigor contra aqueles que queiram desafiar o sistema de justiça criminal”, destacou.


Compartilhe: