Mais de 17 mil beneficiários do Devolve ICMS ainda não retiraram o Cartão Cidadão em Porto Alegre

Compartilhe:
Valor do Devolve ICMS será creditado no Cartão Cidadão. Foto: Felipe Dalla Valle / Palácio Piratini
Valor do Devolve ICMS será creditado no Cartão Cidadão. Foto: Felipe Dalla Valle / Palácio Piratini

Mais de 17 mil beneficiários do programa Devolve ICMS não foram buscar seu cartão do benefício em Porto Alegre. O número foi divulgado pelo Governo do Estado nesta quinta-feira (7). As famílias que ainda não retiraram o seu cartão podem ir ao ponto de entrega e, na saída, utilizar o valor, afinal, todos os cartões já receberam o primeiro depósito do Devolve ICMS e as seis parcelas do Todo Jovem na Escola, programa da Seduc (Secretaria da Educação).

As entregas em Porto Alegre são realizadas no prédio da FGTAS (Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social), de segunda a sexta-feira, das 8h às 11h. O prédio da FGTAS fica na av. Borges de Medeiros, 521 – Centro Histórico. A entrega é feita em parceria com o Banrisul e a Secretaria do Planejamento, Governança e Gestão. Para retirar o cartão, o usuário precisa portar documento de identificação oficial com foto e número de CPF.

“Estamos próximos do depósito da segunda parcela anual do programa e queremos que esse recurso chegue as mãos de quem mais precisa. Acreditamos que esse é o caminho e que temos avançado nesta questão, em um trabalho coletivo do Estado, municípios e Banrisul”, afirma o coordenador do Devolve ICMS, Arielson Alonso.

Em todo o Estado, o número de cartões ainda disponíveis é de 130 mil, segundo o Governo. No programa Devolve ICMS, são depositados no cartão R$ 400 anualmente, pagos em quatro parcelas trimestrais de R$ 100. No total de 432 mil cartões foram emitidos em todo o Estado. Esse cartão pode ser usado em compras em supermercados, farmácias, padarias, entre outros. Clique aqui para acessar arquivo com os locais de entrega por município.

Têm direito a receber o cartão de compras as famílias gaúchas inscritas no Cadastro Único (CadÚnico) do governo federal, com renda mensal de até três salários mínimos nacionais ou renda per capita mensal inferior a meio salário mínimo nacional, que recebam o benefício do Bolsa Família (atual Auxílio Brasil) ou cujo titular familiar tenha algum dependente matriculado na rede estadual de ensino médio regular.


Compartilhe: