RS prevê comercializar mais de 3 mil toneladas de pescado na Semana Santa

Serão 2.231 propriedades rurais que realizarão despesca e comercialização nas chamadas “Feiras na Taipa”.

Compartilhe:
Pesca no Centro de Treinamento de Agricultores de Montenegro (Cetam), da Emater/RS-Ascar. Foto: Divulgação/Emater-RS/Ascar

 

A Semana Santa é o período de maior comercialização de peixes no Rio Grande do Sul e, para este ano, a expectativa gira em torno de 3.030 toneladas de pescado.

“Apresentado de diversas formas aos consumidores, como pescado inteiro, eviscerado, filetado, cortado em postas, fresco, resfriado ou congelado. Estima-se que esta quantidade represente de 20 a 25% da produção”, disse a Seapdr (Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural).

De acordo com levantamento feito pela Emater/RS-Ascar, em 442 dos 497 municípios gaúchos, o preço médio de comercialização é de R$ 23 e a expectativa é que a Semana movimente em torno de R$ 70 milhões no Rio Grande do Sul.

De acordo com a Seapdr, serão 2.231 propriedades rurais que realizarão despesca e comercialização nas chamadas “Feiras na Taipa”, além de 1.528 pescadores que comercializarão seu pescado (de captura) em suas residências.

Entre as diversas espécies de pescado, as com maior expectativa de comercialização são carpa capim inteira, tilápia filé, tilápia inteira, carpa capim eviscerada, carpa prateada inteira, carpa húngara, carpa cabeça grande inteira e camarão.

Levantamento

“A maior parte da comercialização de peixe no Rio Grande do Sul ainda ocorre durante a Semana Santa”, ressaltou extensionista e zootecnista da Emater/RS-Ascar, João Alfredo Sampaio, responsável pelo levantamento das expectativas de comercialização de pescados.

Segundo ele, o levantamento é feito pelos escritórios municipais com a coordenação dos escritórios regionais. O processamento das informações e o resumo dos dados são realizados no Escritório Central.

“As informações colhidas estão apresentadas na forma de números finais e suas respectivas tabelas serão publicadas em Relatório Final”, disse Sampaio.


Compartilhe: