Operação resgata homem escravizado em Quaraí

Compartilhe:
O alojamento na granja era um galpão precário. Foto: Divulgação/Polícia Civil

 

Uma força tarefa realizada pela Polícia Civil, Superintendência Regional do Trabalho no Rio Grande do Sul e Ministério Público do Trabalho resgatou um homem de 64 anos mantido em condições de trabalho análogo a escravo no município de Quaraí.

Segundo a Polícia Civil, o idoso vinha trabalhando há três anos e meio em uma granja na cidade. Ele relatou que trabalhava na propriedade sem receber salário todo esse tempo, era constantemente submetido a humilhações, recebia ofensas racistas, com alimentação insuficiente, chegando a recorrer a frutas colhidas no chão da fazenda para matar a fome.

Conforme a Polícia Civil, o idoso contou que o proprietário da granja também teria retido os documentos pessoais do homem. O trabalhador alega que muitas vezes dormia ao relento. O seu alojamento na granja era um galpão precário construído com tábuas e folhas de zinco e piso de terra batida.

“O espaço era mantido como depósito de materiais, de rações para animais e de venenos para a lavoura, além de ser constantemente infestado por ratos e pulgas”, disse a Polícia Civil.

O homem, que não teve a identidade revelada, trabalhava na granja em diversas atividades, como ordenha de vacas, corte de lenha, trato de gado e manutenção de parreiras.

Ele foi internado no início do mês de abril ao sofrer de fortes dores na coluna e outros problemas de saúde. Segundo a polícia, foi aí que se tornaram de conhecimento público as denúncias de sua condição.


Compartilhe: