Operação combate quadrilha especializada em roubos de veículos em Porto Alegre

Em Gravataí, a Polícia Civil cumpriu mandados em um ferro-velho que vendia como legítimas peças de carros roubados.

Compartilhe:
Foto: Renata Bianchini/PCRS

Seis criminosos foram presos em operação policial realizada pela Polícia Civil e a Brigada Militar contra roubos de veículos em Porto Alegre e região metropolitana. Durante a ação, os investigadores identificaram que os integrantes da quadrilha organizada faziam uso de um ferro-velho credenciado ao Detran para receber as peças roubadas.

Cerca de 30 policiais, entre militares e civis, participaram da ação. O objetivo é combater crimes de associação criminosa armada, roubos de veículos, porte ilegal de armas de fogo, receptações de carros roubados e adulteração de sinais identificadores. Em Porto Alegre, as 10 ordens judiciais foram cumpridas nos bairros Cristal, Vila Cruzeiro, Vila Planetário, Sarandi e Campo da Tuca; além dos municípios de Canoas, Sapucaia do Sul e Gravataí.

Conforme a Polícia Civil, as investigações iniciaram há seis meses. Policiais da corporação e da Brigada Militar começaram a compartilhar informações para identificar criminosos que encomendam ou praticam roubos de veículos em bairros de Porto Alegre. As investigações apontaram que os criminosos agem em duplas ou em trios, impondo às vítimas violência ou grave ameaça, sempre portando armas de fogo.

Na maioria dos casos, os ladrões aproveitam o momento em que a vítima se encontra distraída e se aproximam do veículo escolhido, anunciando o assalto. Logo em seguida, fogem com o carro e demais pertences pessoais das vítimas, como bolsas, cartões créditos, aparelhos de telefonia celulares, dinheiros, carteiras, entre outros.

No decorrer da investigação, a polícia localizou diversas vítimas. Elas foram até à sede do DEIC (Departamento Estadual de Investigações Criminais), onde reconheceram os criminosos por fotografia. Com base nos depoimentos, a polícia pediu a prisão dos investigados ao Poder Judiciário.

Em Gravataí, a Polícia Civil cumpriu mandados em um ferro-velho que vendia como legítimas peças de carros roubados. Se comprovada a receptação, o ferro-velho pode ser descredenciado pelo Detran-RS.

“Apontado pela investigação como local onde seriam desmanchados veículos roubados na Capital, o estabelecimento pagava por peças roubadas e clonadas, com preço abaixo do valor do mercado, porque é produto fruto de roubo, e ainda revendia como se fosse uma peça legal e pelo preço normal de tabela”, afirma o delegado Rafael Liedtke.


Compartilhe: