Homem é preso por furto de fios em parque de Porto Alegre

Uma denúncia anônima recebida pelo telefone 153 da Guarda Municipal informando a tentativa de furto facilitou a prisão.

Compartilhe:

Um homem foi preso durante uma tentativa de furto de fios de um poste de luz no bairro Praia de Belas, em Porto Alegre, no fim da noite desta segunda-feira (12). O crime foi flagrado pelos agentes do CEIC (Centro Integrado de Comando de Porto Alegre) através de câmeras de videomonitoramento. Neste ano, 11 pessoas já foram presas por este crime pela Guarda Municipal.

Conforme a Prefeitura, a tentativa de furto ocorreu na avenida Ipiranga próximo da avenida Edvaldo Pereira Paiva, na área do Parque Marinha do Brasil. Uma denúncia anônima recebida pelo telefone 153 da Guarda Municipal informando a tentativa de furto facilitou a prisão. A chegada das informações auxiliou no acompanhamento da ação por meio das câmeras de segurança.

O suspeito de 38 anos foi autuado em flagrante por furto qualificado. Com uma faca de serra, ele furou o poste de madeira para cortar a fiação. O homem detém extensa ficha criminal e foi conduzido para o sistema prisional.

“A Guarda Municipal intensifica as patrulhas em pontos estratégicos e atua de forma integrada com as demais forças policiais para combater esta prática criminosa. Além dos investimentos tecnológicos em câmeras de segurança, contamos com a contribuição da sociedade neste processo para atuarmos de forma mais rápida e ágil”, afirma o secretário municipal de Segurança, coronel Mário Ikeda.

Denúncia da população

Em uma campanha nas redes sociais, a prefeitura destaca a importância da população em acionar os canais 153 e 156. O objetivo é auxiliar na redução de furtos de cabos em semáforos, terminais e rede elétrica de iluminação.

Além do prejuízo financeiro, os furtos de fios em semáforos, paradas de ônibus e na rede de iluminação pública podem causar riscos a quem pratica e ao cidadão que circula pelas ruas. Para reduzir os danos, a prefeitura está intensificando as rondas nos locais de maior ocorrências e investindo em redes subterrâneas.


Compartilhe: