Secretaria da Saúde de Porto Alegre atualiza critérios para vacinação contra covid de viajantes

A regra se aplica à antecipação da segunda dose, complementação do esquema vacinal ou aplicação da dose adicional em pessoas por motivo de viagem.

Compartilhe:

A Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre atualizou nesta quarta-feira (6) a nota técnica sobre os critérios para vacinação contra covid de viajantes.

A regra se aplica à antecipação da segunda dose, complementação do esquema vacinal ou aplicação da dose adicional em pessoas por motivo de viagem. Conforme a Prefeitura de Porto Alegre, as orientações variam de acordo com a necessidade individual.

A antecipação da segunda dose será autorizada para as pessoas, a partir dos 5 anos, que precisam viajar para outros países ou para estados que exijam a comprovação vacinal. Nesse caso, o intervalo mínimo para recebimento da segunda dose da vacina Pfizer será de 21 dias; para AstraZeneca/Fiocruz, 28 dias.

Para receber a dose, o viajante deverá comprovar a viagem, com apresentação da passagem de destino, entregar declaração específica, que será retida no serviço vacinador. Também deve ser apresentado documento físico ou virtual que demonstre a exigência do passaporte vacinal.

“Pessoas a partir de 18 anos que receberam duas doses da vacina Sinovac/Butantan (Coronavac) e que viajarão para países que ainda não incluíram esta vacina na lista de imunizantes contra covid autorizados poderão receber, além do reforço, uma dose adicional de outro imunizante, aceito pelo país de destino, completando um segundo esquema vacinal. Nesse caso, o intervalo mínimo para recebimento da dose adicional deve ser de quatro semanas”, a disse a prefeitura.

Crianças e adolescentes entre cinco e 17 anos vacinadas com duas doses de vacinas não reconhecidas no país de destino poderão receber uma dose adicional da vacina Pfizer (de acordo com a faixa etária), com intervalo mínimo de quatro semanas.

Confira a seguir a nova regra:

Pessoas a partir de 18 anos

  • Dose 1 (D1) Coronavac + Dose 2 (D2) Coronavac + Reforço com Pfizer ou AstraZeneca: indicada dose adicional com intervalo de quatro semanas, preferencialmente com o mesmo imunizante do reforço.
  • D1 Coronavac + D2 Coronavac sem reforço: indicada dose adicional, com intervalo mínimo de quatro semanas da segunda dose, com imunizante reconhecido pelo país de destino. Nesse caso, a dose de reforço deverá ser feita quatro meses após a aplicação da dose adicional.
  • D1 Coronavac + D2 Coronavac + Reforço Janssen – não é indicada dose adicional.

Crianças e adolescentes entre 5 e 17 anos:

D1 Coronavac + D2 Coronavac: indicada dose adicional com vacina Pfizer (pediátrica ou adulto, de acordo com a faixa etária), com intervalo mínimo de quatro semanas da aplicação da segunda dose.


Compartilhe: