Condenado a 59 anos de prisão homem que matou enteada de 5 anos em Porto Alegre

Surianny dos Santos Silveira, 5 anos, foi encontrada morta dentro de um sofá em agosto de 2015. O réu e um irmão de criação dele foram acusados pelo crime.

Compartilhe:
Surianny dos Santos Silveira morreu em 2015. Foto: arquivo da família / Divulgação

Terminou na noite desta quarta-feira (27) o júri do padastro acusado de amordaçar, estuprar e asfixiar até a morte Surianny dos Santos Silveira, de 5 anos, enteada dele. O caso ocorreu em agosto de 2015 e foi um dos mais chocantes envolvendo crianças nos últimos anos no Rio Grande do Sul. Após matar a menina, o réu e outro condenado esconderam o corpo no sofá de uma peça anexa à casa, utilizada como uma loja da mãe da vítima.

Charles Teixeira de Castro foi condenado a 59 anos de prisão. A pena deve ser cumprida em regime fechado, por pelos crimes de estupro, homicídio e ocultação de cadáver. O réu está preso na Penitenciária Estadual de Charqueadas.

A decisão foi da a juíza da 1ª Vara do Júri da capital, Karen Luise Vilanova Batista de Souza, que presidiu o julgamento. Para a pena, ela utilizou a decisão do Conselho de Sentença, formado por quatro mulheres e três homens. Ainda cabe recurso.

No processo, ainda figura como réu Jefferson Machado Alves, que também praticou o crime. Ele foi  julgado e sentenciado em janeiro de 2018.

O crime aconteceu em agosto de 2015, no Bairro Lomba do Pinheiro, zona Leste de Porto Alegre. Segundo a acusação, Charles e o irmão de criação, Jefferson, aproveitaram que a mãe da criança havia viajado a trabalho e amordaçaram, estupraram e esconderam em um sofá, a menina Surianny, de 5 anos.

Os familiares não encontraram a menina quando retornaram. Preocupados com o desaparecimento, chegaram a registrar boletim de ocorrência na Polícia Civil. Ela foi achada após um dos integrantes da família esbarrar no sofá de uma peça anexa à casa, utilizada como uma loja da mãe da vítima.


Compartilhe: