Cheia do rio Ibirapuitã, em Alegrete, obriga mais de 200 pessoas a deixarem suas casas

Compartilhe:

Ao menos 248 moradores de Alegrete, na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, estão fora de casa por causa da cheia do rio Ibirapuitã. O curso de água que corta a cidade está 11,8 metros acima do seu nível normal. O Ibirapuitã é um importante afluente da bacia do rio Uruguai.

Do total de pessoas que precisaram sair de casa, 157 estão desalojadas (estão casa de parentes ou amigos) e 91 estão desabrigadas (foram para abrigos municipais). Ainda não há previsão de quando essas famílias vão conseguir voltar para casa.

Parte dos desabrigados foi colocada no ginásio do Instituto de Educação Oswaldo Aranha e no posto de saúde do bairro Macedo. Em outra escola, a Honório Lemes, estão sendo deixados os móveis de algumas famílias que foram para casa de parentes e amigos. Doações de colchões, agasalhos e alimentos à população vulnerável podem ser entregues na prefeitura da cidade.

O município de Alegrete decretou emergência por causa da cheia do Ibirapuitã. Ainda não houve reconhecimento do decreto por parte do governo estadual e governo federal.


Compartilhe: