Ministro do TSE determina censura a manifestações políticas em festival de música

A decisão é do ministro Raul Araújo, que disse que a manifestação dos artistas “durante a participação no evento caracteriza propaganda político-eleitoral”.

Compartilhe:

Um ministro do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) atendeu a um pedido do presidente Jair Bolsonaro e proibiu manifestações políticas durante o festival Lollapalooza, que acontece em São Paulo até este domingo (27). A decisão é do ministro Raul Araújo, que disse que “a manifestação exteriorizada pelos artistas durante a participação no evento […] caracteriza propaganda político-eleitoral”.

A ação no TSE foi movida pelo PL (Partido Liberal), que abriga Bolsonaro. Ontem, a cantora Pabllo Vittar exibir uma toalha com o rosto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e puxou um coro contra o atual mandatário.

O despacho de Araújo proíbe “a realização ou manifestação de propaganda eleitoral ostensiva e extemporânea em favor de qualquer candidato ou partido político por parte dos músicos e grupos musicais que se apresentem no festival”. Quem descumprir a decisão ficará sujeito a multa de R$ 50 mil.

Iniciado na última sexta-feira (25), o Lollapalooza tem sido marcado por recorrentes manifestações de protesto contra Bolsonaro, tanto por parte dos artistas quanto do próprio público.

Em fevereiro passado, o mesmo Raul Araújo rejeitou um pedido do PT para retirar outdoors pró-Bolsonaro no Mato Grosso, alegando que a denúncia não comprovou “prévio conhecimento” do presidente sobre a propaganda.


Compartilhe: