Mais de mil leitos de UTI para covid serão fechados em março no Estado

Do total dos leitos abertos emergencialmente durante a pandemia, o Rio Grande do Sul permanecerá com 315 unidades. Mas elas serão convertidas em leitos de UTI geral

Compartilhe:
Foto: arquivo

Por falta de verba do Ministério da Saúde, o Estado terá 1.057 leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) desabilitados neste mês de março. A mudança ocorre via SUS (Sistema Único de Saúde). Esses leitos recebiam recursos federais para atender exclusivamente pacientes com covid-19.

Do total dos leitos abertos emergencialmente durante a pandemia, o Rio Grande do Sul permanecerá com 315 unidades. Mas elas serão convertidas em leitos de UTI geral. Assim, essas unidades deixam de ser utilizadas somente no tratamento da covid-19 e passam a acolher também pacientes com outras doenças.

O custeio desse tipo de leito é de responsabilidade do Ministério da Saúde. Apesar do encerramento desses leitos da covid-19, o Estado continuará com 1.450 leitos de UTI geral. A diretora do Departamento de Gestão da Atenção Especializada, Lisiane Fagundes, explica que “os pacientes continuarão recebendo assistência. Os pacientes com Covid serão atendidos em leitos de UTI geral. Eles precisam estar em uma área reservada, mas os hospitais já lidam com doenças que necessitam de isolamento desde antes da pandemia, como a H1N1”, disse.

Dos leitos de UTI disponíveis no Estado, 202 são pediátricos e os demais para adultos. Segundo o governo do Estado, essa quantidade é suficiente para atender a demanda da população gaúcha, de acordo com recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde) e do Ministério da Saúde.


Compartilhe: