Duas pessoas são presas em operação da PF que investiga homicídio de indígena no Norte do Estado

A ação ocorreu na Terra Indígena Nonoai e faz parte da investigação de um homicídio de um indígena e a tentativa de homicídio de dois não indígenas no ano passado

Compartilhe:

Uma operação da Polícia Federal, chamada Guerra dos Tronos, terminou com duas pessoas presas em flagrante por posse ilegal de arma de fogo, em Nonoai, no Norte do Rio Grande do Sul. A ação ocorreu em uma Terra Indígena da região e faz parte da investigação de um homicídio de um indígena e a tentativa de homicídio de dois não indígenas no ano passado.

O caso

A Terra Indígena Nonoai possui aproximadamente 16 mil hectares de extensão territorial, e compreende os Municípios de Nonoai, Gramado dos Loureiros, Planalto e Rio dos Índios. Ela se subdivide em aldeias.

Segundo a PF, os crimes ocorreram em meio a um conflito neste local, onde, historicamente, há apenas um cacique. Porém, desde julho de 2021, formou-se um grupo dissidente na aldeia de Pinhalzinho, pertencente a esta mesma terra indígena. O grupo declarou independência e promoveu a escolha de um novo cacique, dando início a uma disputa pela posse da terra.

Os fatos investigados ocorreram na noite de 14 de novembro de 2021, quando um grupo em um veículo passou em frente a uma casa, localizada dentro da Terra de indígena, às margens da Rodovia ERS-324, e efetuou diversos disparos de arma de fogo contra o grupo que estava no local, provocando o óbito de um indígena, chamado Elizeu Pedroso, de 23 anos.

Como resposta, o grupo atacado realizou manifestação que bloqueou a ERS-324, na região da Aldeia Pinhalzinho. Em meio ao protesto, foram efetuados disparos de arma de fogo contra um veículo que passava no local. Dois ocupantes do automóvel foram atingidos com gravidade.

A operação

Ao todo, foram cumpridos 12 mandados de busca e apreensão nas aldeias Pinhalzinho, em Planalto, e Bananeiras, em Gramado dos Loureiros. Participaram da operação, 50 policiais federais, além de integrantes do 3º Batalhão de Polícia de Choque, do Comando Regional do Policiamento Ostensivo Fronteira Noroeste, Comando Rodoviário da Brigada Militar, Força Nacional de Segurança, Corpo de Bombeiros Militar e Polícia Civil.


Compartilhe: