BR-101 recebe três novas passarelas no Litoral Norte

As estruturas na BR-101 tiveram suas obras iniciadas no segundo semestre do de 2021 e já estão liberadas para utilização das comunidades.

Compartilhe:
Passarela para pedestres na BR-101, em Osório. Foto: CCR ViaSul / Divulgação

Três novas passarelas foram concluídas na BR-101, no Litoral Norte. As passagens elevadas aumentam a segurança, evitando que pedestres e cliclistas tenham que atravessar a movimentada rodovia. O serviço de melhoria foi realizado pela CCR ViaSul, que administra a estrada entre Torres e Osório.

As estruturas ficam no km 9 (Torres), no km 62 (Maquiné) e a outra no km 78 (Osório) e o total de passarelas novas na BR-101 subiu para seis. As estruturas tiveram suas obras iniciadas no segundo semestre do de 2021 e já estão liberadas para utilização das comunidades. No último ano, a concessionária já havia concluído outras três estruturas: uma em Terra de Areia (km 44,5) e outras duas em Torres (km 4 e 6).

O contrato de concessão da CCR ViaSul prevê a construção de 32 novos dispositivos, sendo 10 na BR-101, com obras em andamento. Outras 18 serão instaladas na BR-386 e já estão em construção, conforme a concessionária.

Outras elevadas para pedestres quatro serão colocadas na BR-290/Freeway. Nesse caso, a previsão é que as obras iniciem ainda em 2022, mas não há uma data divulgada pela CCR ViaSul.

Conforme a CCR ViaSul, as passarelas contarão com tela de proteção no trecho de travessia sobre a pista para evitar que resíduos sejam atirados na pista. As calçadas e passeios que dão acesso à rampa seguirão todas as exigências que garantem acessibilidade às pessoas com deficiência. Sistemas de drenagem também serão instalados em todas as entradas e saídas das rampas.

Da mesma forma, serão implantados pontos de parada de ônibus em todas as passarelas, desde que respeitem uma distância mínima de 3,5 quilômetros entre eles. A CCR ViaSul também é responsável pela instalação e manutenção de toda iluminação dessas estruturas, bem como das câmeras que irão monitorar integralmente os locais por meio do CCO (Centro de Controle Operacional).


Compartilhe: