Bolsonaro decide demitir general Silva e Luna do comando da Petrobras

Anúncio ocorre meio à pressão por conta do aumento no preço dos combustíveis e depois de diversas críticas feitas pelo governo e pelo Congresso à estatal.

Compartilhe:
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

O presidente da Petrobras, general Joaquim Silva e Luna, deixará o comando da estatal brasileira de petróleo. A decisão foi anunciada pelo Palácio do Planalto no início da noite desta segunda-feira (28) em meio à pressão por conta do aumento no preço dos combustíveis e depois de diversas críticas feitas pelo governo e pelo Congresso à estatal.

O economista Adriano Pires, com amplo conhecimento da área e atual diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura, vai assumir o comando da Petróleo Brasileiro S.A. Pires possui doutorado em Economia Industrial pela Universidade de Paris XIII, mestrado em Planejamento Energético.

Na prática, no entanto, a dança das cadeiras no alto comando da Petrobras só deve ser consolidada daqui a duas semanas, após a Assembleia Geral de Acionistas. O presidente do Clube de Regatas Flamengo, Rodolfo Landim, ocupará uma cadeira no conselho junto com Adriano Pires. Landim será o presidente do conselho.

Uma nota do Ministério de Minas e Energia não fala da saída de Silva e Luna e lista os demais conselheiros da Petrobras. A União tem a maioria das ações com direito a voto na Petrobras, o que garante que a petroleira sofra interferências externas e pressão política.


Compartilhe: