Sites do Governo do Rio Grande do Sul são restabelecidos após ataque hacker

O governo do RS afirma que o ataque aos sistemas se deu em um ambiente restrito e não gerou perda de dados ou vazamento de informações pessoais.

Compartilhe:

Os sites do Governo do Estado do Rio Grande do Sul gerenciados pelo PROCERGS (Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Rio Grande do Sul) voltaram ao ar no início da noite desta terça-feira (8). A infraestrutura virtual do Poder Executivo foi alvo de um ataque hacker, o que foi confirmado pela SPGG (Secretaria de Planejamento e Gestão do Estado).

Conforme a assessoria de Comunicação da Secretaria de Planejamento, o ataque foi registrado à 1h e identificado pelas equipes à 1h19. Como medida de contenção, os portais foram tirados do ar por precaução antes das 2h. Desde então, os servidores trabalhavam para restabelecer o acesso. Em alguns ainda são feitos ajustes. O acesso indevido que deixou os portais fora de uso colocou em ação o plano de contingência desenvolvido pelo PROCERGS.

O governo afirma que o ataque aos sistemas se deu em um ambiente restrito e não gerou perda de dados ou vazamento de informações pessoais. Foram atingidos dezenas de portais que fazem parte do Executivo Estadual e gerenciados pelo Centro de Tecnologia da Informação. Dentre eles, os sites institucionais da Brigada Militar, da Polícia Civil, do DAER (Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem), do Detran/RS, da Secretaria de Planejamento, da Secretaria de Segurança Pública; a Central de Serviços do Governo do Estado, o sistema de agendamento para confecção de carteira de identidades, entre outros.

Durante a falha, os horários agendados pela população em serviços vinculados ao governo estadual foram cumpridos ao longo do dia, com restrição apenas à realização de novos agendamentos. A possibilidade de agendamentos foi restabelecida.

Com a volta ao ar em segurança dos portais do governo estadual, a equipe da Procergs buscará a identificação da autoria dos ataques para a adoção das medidas pertinentes. Não se descarta a possibilidade de registro de ocorrência na Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos, da Polícia Civil.

“A discussão sobre a segurança da informação é uma necessidade do mundo atual e uma constante no governo, por isso já vínhamos adotando uma série de medidas que permitem minimizar os impactos. O trabalho auxilia a evitar esse tipo de ocasião, mas, ainda assim, é possível de ocorrer”, afirmou o secretário de Planejamento, Governança e Gestão, Claudio Gastal.


Compartilhe: