Prefeitura de Porto Alegre confirma novos casos de dengue na Capital

Segundo a Prefeitura de Porto Alegre, serão realizadas ações por causa da confirmação de dois casos de dengue autóctones.

Compartilhe:

 

Foto: Patrícia Coelho/PMPA

 

A Prefeitura de Porto Alegre confirmou, nesta quarta-feira (23), novos casos de dengue na Capital gaúcha.

Segundo a prefeitura, a DVS (Diretoria de Vigilância em Saúde) vai ampliar o raio de ação para aplicação de inseticida nesta quinta-feira (24), na zona leste de Porto Alegre.

A ação acontece por causa da confirmação de dois casos de dengue autóctones, um contraído no bairro Bom Jesus e outro no Jardim Carvalho. Com essas duas ações, serão realizados três bloqueios químicos de transmissão, com aplicação de inseticida, a partir das 8h30 na quinta.

A primeira ação será no Morro Santana. Na sequência, as equipes de trabalho se deslocarão para o bairro Bom Jesus e Jardim Carvalho.

No Morro Santana, nesta quarta, agentes de combate a endemias percorreram a região em um raio de 150 metros a partir do local onde o paciente confirmado para dengue passou o chamado período de viremia, quando o vírus circula no organismo e, desta forma, aumentando o risco de transmissão viral.

No trabalho, foram vistoriados 93 imóveis, com identificação e eliminação de 81 criadouros de mosquitos e seis coletas de larvas que foram encaminhadas para identificação no Laboratório de Entomologia Médica da DVS. Das seis coletas, cinco continham larvas de Aedes aegypti.

Segundo a prefeitura, o índice de infestação predial (IIP) ficou em 5% (cinco casas positivas em 93 analisadas). Esse valor, para o IIP, representa risco elevado para transmissão viral.

No bairro Jardim Carvalho, a armadilha estava amarela na semana epidemiológica 7 (13 a 19 de fevereiro), com infestação média. A armadilha mais próxima do local provável de infecção no bairro Bom Jesus na mesma semana apresentou índice de infestação elevado, aumentando o risco de transmissão viral na região.

“A intenção das operações é diminuir a população de mosquitos adultos, diminuindo, dessa forma, o risco de transmissão do vírus pela picada de uma fêmea do inseto”, ressaltou a gerente da Unidade de Vigilância Ambiental da Secretaria Municipal de Saúde, Alex Lamas.

“A fêmea do Aedes aegypti pica seres humanos porque precisa de sangue para desenvolver os ovos. Se uma pessoa infectada com a dengue for picada, o vírus passará para o mosquito e depois de alguns dias o inseto transmitirá o vírus para outras pessoas, pela picada”, explicou.

Os locais de aplicação de inseticida

Morro Santana

– Ruas Parlamento (ponto de partida); Quatro mil e Cinquenta e dois e Quatro Mil e Cinquenta e três e Albert Roberts Jr;
– parte das ruas Eurico da Costa Gama, Mário Juarez de Oliveira, Carlos Fonseca Amador, Carlos Berlinzoni; quatro mil e Cinquenta e Quatro; Onofre Pereira Maciel; e Faixa Cidadão.

Bom Jesus

Rua José Madrid – bairro Bom Jesus (após o término da primeira operação)
– Parte da rua José Madrid e das ruas H, 2, 4, 5, 6, 8, 10

Jardim Carvalho

Rua Bem-Te-Vi – Jardim Carvalho
-Parte das ruas Carlos Rivaci Sperotto, Pardal, Uirapuru, Falcão, Andorinhas e Cefer 1 (1, 10, 11 e 12).


Compartilhe: