Novo site de Valores a Receber do Banco Central já está no ar; veja como realizar a consulta

Portal para averiguar se há valores a receber foi desvinculado do Sistema Registrato. Cidadão deverá tomar cuidado para não entrar em páginas falsas.

Compartilhe:

Foi retomado nesta segunda-feira o sistema do Banco Central que permite a consulta a valores esquecidos em bancos e outras instituições financeiras. Agora o chamado Sistema de Valores a Receber tem novo endereço. A ferramenta passa a funcionar no site valoresareceber.bcb.gov.br. Este ambiente foi desvinculado do Sistema Registrato, que hospedou o serviço nos primeiros dias de funcionamento.

No primeiro acesso, o cliente pode consultar apenas se há ou não recursos disponíveis. Neste momento, basta informar o CPF (Cadastro Pessoa Física) ou CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica).

Ao realizar esta primeira etapa, o cliente do banco recebe uma data e um período para consultar e solicitar o resgate do saldo existente. Ou seja, apenas a partir da data definida será possível saber o valor exato que poderá ser resgatado. As datas são agendadas de acordo com o ano de nascimento da pessoa ou da criação da empresa.

Para nascidos antes de 1968, as transferências poderão ser solicitadas entre os dias 7 e 11 de março. Já para nascidos após 1983, a liberação ocorrerá entre 21 e 25 de março. A consulta inicial pode ser feita a qualquer momento.

Caso o cliente não acesse novamente na data e período informado, terá que voltar no sábado da repescagem, de acordo com o calendário. Quem perder seu sábado de repescagem, poderá consultar ou solicitar o resgate do saldo existente a partir de 28 de março.

Mas o Banco Central informa que mesmo se não houver a consulta ou solicitação do resgate do saldo existente em todas essas datas, ele continuará guardado à espera do cliente.

Para quem tiver dinheiro, o sistema informará uma data para retornar ao site, conhecer os valores disponíveis e solicitar sua transferência, a partir de 7 de março. O dinheiro deverá ser depositado via Pix, TED ou DOC em até 12 dias úteis.

No caso de quem não tem valores a receber nessa primeira etapa, o sistema informa que o cidadão poderá fazer uma nova consulta a partir de 2 de maio deste ano, na segunda fase de liberações.

Segunda consulta

Quem receber a data para a realizar a segunda consulta, necessitará de conta no Portal Gov.br, que fornece acesso a serviços públicos digitais. O cadastro para ter a conta é gratuito e pode ser feito na área de login do Gov.br ou pelo aplicativo Gov.br, disponível para usuários de dispositivos móveis dos sistemas Android e iOS.

Existem três níveis de login no Portal Gov.br: bronze, prata ou ouro. Eles variam conforme o nível de segurança e a complexidade do serviço público pedido. Para resgatar o dinheiro esquecido nas instituições financeiras, será exigido nível prata ou ouro.

Orientações

Para evitar fraudes, o Banco Central informa que o único site disponível é o valoresareceber.bcb.gov.br. O cidadão deverá tomar cuidado para não entrar em páginas falsas. O órgão também esclareceu que não entrará em contato com nenhum usuário, nem enviará links por SMS, Whatsapp, Telegram ou e-mail para confirmar dados pessoais ou tratar de valores a receber.

A única situação em que haverá contato com o correntista será no caso de a transferência não poder ser feita por Pix, mas a comunicação será feita pela instituição detentora do dinheiro, sem nenhum pedido de confirmação de dados ou de senhas.

Por fim, o BC esclarece que o processo de resgate de valores esquecidos é gratuito. O usuário jamais deverá fazer qualquer pagamento para consultar o montante a receber nem para sacar o dinheiro. Qualquer pedido nesse sentido configura golpe.


Compartilhe: