No Meio-Dia: a força tarefa para criar microaçudes diante da estiagem no RS

Confira as principais notícias da manhã desta quinta-feira, 8 de fevereiro de 2022, no podcast Meio-Dia.

Compartilhe:

Ouça o podcast Meio-Dia também em outras plataformas:

O governo estadual anunciou a criação, por meio de decreto, de uma força-tarefa para acelerar a abertura de 6 mil microaçudes em cidades gaúchas. A decisão ocorre após o Rio Grande do Sul atingir a marca de 399 cidades com situação de emergência decretada devido à estiagem. O Estado também quer oferecer verba para perfuração de poços, instalação de caixas d’água, implantação de cisternas e combustível para o transporte de água. Hoje, o governador vai se reunir com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e propor a criação de um crédito emergencial para agricultores. A expectativa do governo estadual é que, em até 10 dias, grande parte das cidades já tenham assinado convênios com a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural para que possam receber os recursos.

Nesta terça-feira, a massa de ar seco e ameno continua avançando pelo Rio Grande do Sul. O dia será marcado por amplitude térmica. Após uma manhã mais fria que o normal, o tempo fica firme com temperaturas um pouco mais elevadas em grande parte do território gaúcho. Mas há possibilidade de pancadas isoladas de chuva no Litoral Norte a partir da tarde. Na quarta-feira, uma área de baixa pressão provoca pancadas de chuva em áreas do Norte e da Serra gaúcha durante a tarde. Nas demais regiões, o tempo continua firme e as temperaturas se elevam gradualmente. Na quinta-feira, a chuva e a instabilidade devem voltar a atuar na metade Leste e as temperaturas ficam elevadas durante a tarde.

Sites do Governo do Estado do Rio Grande do Sul estão indisponíveis na manhã desta terça-feira após um suposto ataque hacker. Uma mensagem afirmando que os portais haviam sido atacados chegou a aparecer em sites do Governo do Estado durante a madrugada. Os cibercriminosos afirmaram, na mensagem, que pertencem ao estado do Paraná e que “todos os serviços online do Rio Grande do Sul” iriam “para o saco”. A mensagem não está mais disponível e todos os portais seguem fora do ar. Dentre os domínios indisponíveis estão os do Poder Executivo, o do Detran/RS, os das pastas da Secretaria de Segurança Pública, da Fazenda e da Agricultura, entre outros órgãos públicos, como Brigada Militar e Polícia Civil. O próprio domínio da PROCERGS também está indisponível. A Secretaria de Comunicação do Estado e a PROCERGS ainda não se manifestaram sobre a interrupção dos serviços.

Um incêndio de grandes proporções atingiu três pavilhões da empresa Schio, uma das maiores do ramo da exportação de maçãs no Brasil. O local fica às margens da BR-285, em Vacaria, na Serra gaúcha. Ninguém ficou ferido. O fogo teria iniciado em uma câmara fria. No momento do começo das chamas, havia cerca de 300 pessoas trabalhando no local, mas a fábrica foi totalmente evacuada antes do fogo se espalhar. Dois bombeiros precisaram de atendimento médico durante os trabalhos de contenção do fogo. Um deles passou mal após inalar fumaça e o outro teve um ferimento após uma estrutura, não identificada, cair na perna dele. Apesar do fogo já se encontrar controlado, o combate ao incêndio prosseguia até o fim da manhã desta terça. Os Bombeiros seguem despejando água sobre a estrutura atingida para resfriá-la e remover quaisquer focos de chamas nos escombros dos pavilhões.

Levantamento da ONG Todos pela Educação aponta que quatro em cada dez crianças entre seis e sete anos não sabiam ler ou escrever em 2021. O estudo se baseou nos dados obtidos pelo IBGE na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, a PNAD Contínua. A queda na alfabetização ocorreu em grande parte por conta da pandemia da Covid-19, que suspendeu a realização de aulas presenciais. A maior parte das crianças que não conseguiram se alfabetizar são pretas. Em 2021, 47% delas – ou seja, quase a metade entre seis e sete anos – não sabiam ler e escrever. Entre as pardas, o índice cai para 44%. Entre as crianças brancas, o percentual é de 35%, ou seja, uma em cada três.


Compartilhe: